quinta-feira, outubro 29, 2015

Disney Magic Run em Salvador / 2015


No dia 18 de outubro participei da Disney Magic Run em Salvador. Embora desde que lançada eu já estivesse no desejo de ir, a decisão por correr este evento veio de última hora.  Tive dúvidas por que tínhamos muitas opções de corridas na cidade. No entanto tendo em vista que no sábado eu teria um treino de 15km no COE, optei fazer esta corrida por saber que faria mais leve do que se fosse para ASA. Iria para brincar. E de fato foi o que fiz, indo até fantasiada de Minie. O treino de sábado resumia-se a muitas ladeiras e descidas. Então Magic Run seria meu regenerativo. Era uma corrida diferente, mais minha cara e valia a pena ir para conhecer.

Fui definitivamente para brincar!!!! Sai na "elite" (embora não me considere elite), mas larguei fraca dentro do padrão que perguntaram e fiz uma corrida mediana. Só corri de verdade a partir da 2 volta e meia. Isso mesmo!!!Uma corrida de voltas. Como muitos já haviam me alertado...horrível para cronometragem e de fato foi. Fiquei imensamente frustrada e decepcionada com a empresa que cronometrou este evento. Falarei um pouco mais desta frustração. Primeiro vamos aos elogios.

Uma corrida realmente linda, da qual recomendo participarem, desde que abram mão da sua classificação de chegada bonitinha. Inscreva-se sabendo que esta poderá vir errada e que a empresa por sinal confirma este erro e nada faz.

O valor do kit foi um pouco salgadinho. Mas paguei com desconto de 30% - o que me custou r$82,00 com a taxa de conveniência do site.
Amei a camiseta e embora meu kit tenha vindo faltando coisas, não cheguei a questionar nada. Achei bem fofinho. Além dele a medalha de participação. Linda principalmente a da caminhada.
No dia em que fui fazer a retirada do kit, na sexta-feira, os bichinhos ainda não estavam lá. Só estiveram presente no sábado. Sendo assim não pude tirar uma fotinha próxima aos fofinhos. risos!!! Nem no dia da corrida...só podia chegar perto com eles em cima do palco.

Achei bem legal o local da arena da prova.  No entanto percurso bem pesadinho para crianças. Com muitas ladeiras.

Imagens por Nil Hora , Edson Magoolin e Álvaro da Correndo em SSA


A largada aconteceu no horário certo. E no momento desta, o locutor fez questão de avisar para  as mulheres que faziam pace abaixo de 4:30 a 4:50 que passassem para frente da faixa, para largarem com a elite. Eu embora envergonhada, já que não me considero elite, ainda assim avancei. Muito mais por que fiquei com receio de demorarem a dar a próxima largada. Eramos pouquíssimas mulheres e praticamente nos conhecíamos, nem que fosse de vista.Mas de outras corridas. Antes mesmo da largada eu já estava tietando a provável campeã. Claro que seria Tati e eu estava na torcida por ela. Sempre vou estar. Ela merece demais.

Eu fui para fazer uma corrida fraca e de fato fiz. Mas fiz todas as voltas. O que não admito e não admiti  neste evento foi a falta de organização e enrolação da empresa de cronometragem. Não tiveram o mínimo de cuidado em desclassificarem as pessoas que não deram as 3 voltas. Não julgo as pessoas que não fizeram, nem acredito que tenham feito de má fé. Não!!! Suponho que devido a largada tarde, 8h e por se tratar de pessoas que não correm sempre, e terem enfrentado um percurso de ladeiras, tenham desistido de todas as voltas. Mas jamais que tenham agido de má fé. Pessoas até de 60 anos, 74 anos....

Mas a empresa de cronometragem falhar na divulgação? Ainda assim as colocarem no resultado e ao serem interrogados, ainda confirmarem que o fizeram devido a ser uma corrida festiva. Ora, qual corrida festiva faz premiação?? Foi tão feio. A ponto da 3 colocada chegar no palco e informar que não treina, mas possui pace de 4:30. Soa bem estranho, quando sabemos que é uma nata que faz isso, como no caso das meninas triatletas que estavam no palco. Não estou dizendo que ela não tenha sido a 3. Jamais...mas que é estranho não treinar, não participar de corridas e ter este tempo é. E isso foi algo que a própria disse e o locutor repetiu.
Idália, eu, Ivete e Nil 
Visualizando o rapaz todo perdido na mesa de cronometragem, minha indignação se estendeu quando vi o resultado no site. Ora....se havia tanta gente elite assim, por que não largaram junto com a gente????

Sei que muitos ao lerem este relato vão me julgar. Ora como ela é vaidosa e quer estar bem classificada. Não gente.... não se trata de vaidade. Espera-se um minimo de respeito e coerência. Visualização de um "mérito pessoal". Ele não me dá nada demais...não é algo que vá encher meu bolso de dinheiro. Não.... é um mérito em saber que treinar gera bons resultados. Antes, ou algum tempo atrás talvez eu tenha cometido a mesma falha, com outros atletas, que quem esteja lendo este texto  também possa vir a cometer. Mas só de fato, após treinarmos pesado,  suarmos para driblar junto o cansaço do dia a dia é que passamos a dar importância a isso. Não se trata de vaidade e muito menos eu esperasse pódio desta corrida. Se eu quisesse pódio talvez tivesse ido para a corrida da ASA. Se é que fosse vaidade, lá eu teria muito mais condições por ter pódio de faixa etária. Mas trata-se apenas de querer visualizar uma classificação certa e digna. É como quando estudamos, um bom exemplo dado por Paim. Estudamos, não esperamos uma boa nota??? Quando se treina também queremos sim saber em que nível estamos. Dizer que não, é hipocrisia. Dizer que você compete consigo mesmo também é hipocrisia e não admito. Nossa melhora depende sempre de quem vai na frente. Quem nunca fez uso de coelhos para baixar tempos??? Então fingir que se compete é consigo mesmo  é enganar a si mesmo. Claro que nesta eu não tive com quem competir e nem fui para isso. Jamais e nunca competiria com Tati ou Ana. Elas estão anos luz a minha frente. Só se for para subir para laje de cima. Quem vê minhas fotos  desta corrida percebe que brinquei. O que é muito estranho é abri o resultado e ver uma pessoa de 74, 62 anos fazendo pace de 4:30 e na nossa frente. Se de fato faz, preciso de umas aulas com elas. Se quem não treina faz 4:30 também preciso aprender esta técnica. Já que treinando ainda estou no passo pangaré.  Sem mais, fiquei muito indignada com a empresa de cronometragem. Que por sinal respondeu-me um e-mail dizendo saber destes erros e mesmo assim mantiveram o erro. E por aí ficou. Um beijo e um abraço e só!!!!

No mais em termos de beleza a corrida é muito bacana. Fora este estresse desnecessário. Indico o evento para quem queira ir brincar. Pretendo retornar, mas espero que melhorem neste quesito. Achei o percurso um pouco difícil para crianças. Muitas ladeiras.

Após este desabafo...pulemos para a próxima corrida. Corrida agora só dia 8 de novembro!!!!

terça-feira, outubro 20, 2015

Corredoras fazem história na segunda edição da W21K ASICS








Confesso que este ano fiquei bem pensativa com relação a ir ou não correr em São Paulo a W21Asics. Pensei, pensei e acabei não indo. Mas nossa depois de ver este e-mail, ao qual compartilho com vocês, acredito que ano que vem estarei lá. Pretendo correr esta prova. Vejam que linda:



By Asics:
Prova agitou a região da USP na manhã deste domingo

 
 

"As ruas da região de São Paulo foram dominadas por milhares de corredoras, na manhã deste domingo, durante a segunda edição da W21K ASICS, que este ano foi especial, pois promoveu o Outubro Rosa, incentivando as mulheres a correrem pela luta contra o câncer.
Com um crescimento de 54% em relação a 2014, 2259 mulheres desafiaram os 21K, num percurso predominantemente plano. A largada foi às 7h da manhã na USP, com temperatura de 16 graus e garoa fina.
Pensado na segurança de todas as corredoras, o percurso que passou pelo Jockey Club, contou uma estrutura de excelência, contemplando postos de hidratação a cada 2 km, isotônico a cada 4 km, gel carboidrato, equipe médica preparada e experiente, e ativações ao longo do percurso. Ao cruzar a linha de chegada, as corredoras foram festejadas pelos amigos e familiares.
A vitória ficou com Giovanna Martins, que passou a maior parte do tempo atrás de Larissa Quintão, mas no 17º quilômetro assumiu a ponta e não perdeu mais. “Não esperava a vitória, já que há 20 dias corri a Maratona de Berlim e não estou totalmente recuperada. Estou muito feliz em vencer essa prova que se torna mais especial por ser voltado às mulheres guerreiras que somos”, falou a vencedora. Larissa terminou na segunda posição, seguida por Noeme Pereira, Rozirene Moraes e Joisse Silva.
Concluintes recebem medalha e pingente especial – Além da tradicional medalha de concluinte, as corredoras receberam um pingente banhado a ouro, miniatura da medalha. Inspirado nas flores da cerejeira, símbolo da cultura japonesa e da felicidade, a peça foi desenvolvida pela designer de joias Stephanie Stein, em parceria com a ASICS e a Iguana Sports (organizadora da prova).
A experiência única de correr uma prova 100% voltada às mulheres foi aprovada pelas participantes. “A prova é pensada em seus mínimos detalhes para agradar as corredoras, desde a retirada do kit até a entrega da medalha de finisher, que é linda. Estamos acostumadas a correr junto com os homens, mas correr apenas entre mulheres é diferente. Uma apoia a outra o tempo inteiro. Corri ano passado e voltarei em 2016, com certeza”, contou Carol Spera, de 35 anos.
Outro destaque da W21K ASICS, foi a estrutura da arena pós-corrida, que contou com centro de beleza com cabeleireiro e massagem, centro de recuperação com quiropraxia e crioterapia, aulas de zumba, além de ações de fotos, tornando sua experiência ainda mais inesquecível.


Mulheres na Luta Contra o Câncer – Em prol do movimento, todas as mulheres foram incentivadas a correrem com um lacinho rosa e após a corrida deixaram todos eles em um painel com mensagens de incentivos às pessoas que enfrentam o câncer.
A ação fez parte do Outubro Rosa, campanha mundial que simboliza a luta contra o câncer de mama. A campanha Accelerate Hope (www.asicsbrasil.com.br/acceleratehope), criada pela ASICS para conscientizar as pessoas sobre a prevenção e o combate ao câncer através do esporte irá reverter parte da renda dos produtos da coleção Accelerate Hope à Fundação do Câncer do Rio de Janeiro.

Olha os belos resultados:
Resultados
1 – Giovanna Martins – 01h21min51seg
2 – Larissa Quintão – 01h22min52seg
3 – Noeme Pereira – 01h25min27seg
4 – Rozirene Moraes – 01h25min55seg
5 – Joisse Silva – 01h30min21seg