sexta-feira, maio 29, 2015

Vida Corrida no Fun Tour Sports da Corrida do CT - Gantuá

A convite da Gantuá Multisports Eco Adventure  , este foi um dos fins de semana mais incríveis que pude ter correndo. Isto por que, junto com mais 20 pessoas - dentre prof. de assessorias, jornalistas e entusiastas do esporte, estive em Mucugê conhecendo o percurso da corrida do CT que ocorrerá dia 4 de julho.  Tratou-se de um Fun Tour, com a prévia da corrida de trilha. E é claro correndo!!!! Por que conhecer caminhando ninguém merece!!! rs!!! 
Há muito que queria voltar a Mucugê mas nunca dava certo. Ou seja, no dia que o convite bateu na porta nem tive como recusar. Foi um SIM de imediato. E com certeza não fiz escolha melhor. Equipe maravilhosa, tanto a da Gantuá como a turma que viajou. Todos de fácil adaptação e sem frescuras. Mas vamos aos mínimos detalhes e a parte principal.... a Corrida do CT!!! 

Saímos de Salvador na sexta-feira, 22 de maio às 17:30. Na ida, ainda que timidamente a turma timidamente já vinha animada no buzu. 


Imaginando como seriam todas estas atividades que constavam na nossa programação. Aos poucos um bate papo daqui, outro dali íamos dividindo nossas aventuras de bike e corrida. A ponto de em pouco tempo estarmos nos sentindo amigos de infância.E por mais incrível que pareça compartilhando pedais em comum que participamos, mas não nos conhecíamos. E claro, como o mundo é pequeno, com muitos amigos em comum. Por toda viagem esta só foi crescendo e nos entusiasmando ainda mais.

Chegamos em Mucugê por volta de 1 hora da manhã. Durante a viagem fizemos uma parada em Feira de Santana, para pegar mais alguns dos convidados e em Itaberaba para um lanche. 


Já na cidade da chapada, os atletas foram sendo deixados nas pousadas. Os primeiros no Hotel Alpina,  Pousada Recanto da Chapada e por último - na Pousada Mucugê, onde tive o prazer de passar estes dias lá. Que foi tanto sucesso que a pousada lotou e fiquei de fora. 



Prazer ainda maior em saber que o dono também era atleta e dividiu correu conosco por todo tempo. Aliás que também vai participar do CT e deseja bater seu recorde. Claro que isso faz todo diferencial. Gente da gente!!!! Sabe como deve ser um bom café para o atleta.

Desde a saída de Salvador, a tocar em solo "diamantino" fomos muito bem recepcionados. Diana e Alan, donos da Gantuá não mediram esforços para nos deixar a vontade. Ela fez questão de adentrar no ônibus e nos acompanhar até a pousadas. Mesmo saindo de um aniversário de 15 anos. 

Ainda tem mais... uma recepção carinhosa que nos fizeram. Com kits personalizados em nossas camas. Eu estava  muito cansada quando lá cheguei, mas não deixei de admirar este belo gesto. Kit com mapa da Trilhas e caminhos, camisa, squeeze, cartinha com meu nome. Me senti abraçada naquele momento pelos dois.

Eu e minha parceira de quarto (Patrícia Narriman) fomos dormir 2 horas da manhã. 
Uma turma massa ficou na nossa mesma pousada. Aliás, a turma escolhida a dedo era muito boa. O que nos permitiu ter uma ótima experiência. Tive a oportunidade de correr com excelentes professores de Salvador.

Sábado:


Embora tivesse dormido às 2 horas, havia combinado com Renato Maia e Patrícia Narriman de acordar para fazer um treino logo cedo. Ou seja, dormir?? Acredito que foram apenas quatro horas e meia de sono. 


Eu tinha 18km na planilha. No entanto sai do hotel com apenas duas bananinhas no estômago. Quem me conhece sabe que não funciono sem meu bendito café. 


A paisagem era linda, mesmo assim não favoreceu para que minha corrida matina fosse perfeita. Um amanhecer do sol belíssimo. Mas começamos mal, por ter pego a direção do percurso ruim. Um parte da BR que havia somente subidas e mais subidas e carros de alto porte tirando o fino na gente. Ou seja, ladeiras + rarefeito + carros = dificuldade. 


O  que deveria ter sido um treino de 18km, acabou "morrendo" nos 10km mesmo. Ahhh!!! mas não fiquei tão triste assim não, afinal o dia estava apenas começando e sabia que o fim de semana seria inesquecível.



Voltamos para o hotel e ai sim tomei aquele sagrado café da manhã. De dá gosto!!!! A mesa da Pousada Mucugê foi linda e caprichada. Com diversos produtos da terra, bolos, pamonha, frutas, iogurte, vitamina de abacate...um monte de coisas.  Algumas iguarias ao sabor da Vovó Ilza ( que por sinal depois fiz boas compras).  Só senti falta de uma coisinha - vou dizer para ajudá-los a cada vez mais aperfeiçoar aquela mesa gostosa - faltou um aipim. Ahhh, mas teve beiju, cuscuz de tapioca, ovos. 

Às 10h deram início a palestra de apresentação da corrida em trilha.  Todos bastante atentos tentavam compreender a estrutura da prova. Bem diferenciada. Um pouco complexa e muito difícil de completar. Vale lembrar que o evento acontecerá em média dentro de 13 horas. Visto que ao mesmo tempo que ocorrerá a corrida de trilha, estará acontecendo a corrida de aventura (MTB, Trekking, rapel, e orientação).


Acima - minha cara de preocupação quanto ao nível de dificuldade da corrida. Achei bem difícil. Queria ir até os 21km, mas não sei se chego. Muito difícil e vocês entenderão melhor assim que eu explicar por que.

Falarei especificamente da corrida de trilha. O que de fato nos interessa. Esta será disputada em duplas. (No início achei meio estranho, mas após percorrer todo o percurso, vejo a importância da dupla). Serão as seguintes categorias:


Dupla masculina (dois homens)
Dupla mista (um homem e uma mulher)
Dupla família (dois parentes)
Kids individual (até 12 anos)
Achei meio injusto a dupla feminina disputar com a mista, mas me explicaram que esta ocorre, devido a quase nunca se ter muitas duplas femininas. Não tendo 15 duplas no mínimo eles não fazem pódio de duplas femininas, dai por que estas disputam juntas com a mista. Destas duplas, ao longo da prova não é permitido se distanciar do parceiro por mais de 5 metros.

PARTE IMPORTANTE!!!

Algo que me despertou curiosidade e instigou a encarar o desafio é que você não escolhe o percurso que deseja fazer - 5k (Light), 11k (Power) e 21k (Mega Power) no ato da inscrição. Pelo contrário. Você precisa conquistá-lo. E é ai que mora o perigo. Você pode sair sorrindo a toa ou chorando por não ter concluído como queria. Mas também instigado a conquistar no ano seguinte. É pauleira, mas vale a pena. 

E como será feito esta escolha do percurso?? 

Bem, a escolha do percurso se dá no momento da prova. Por ser muito difícil todos completarem, a passagem de um percurso para o outro se dá por meio de corte.

Todos correrão juntos os 5 primeiros quilômetros. OK? Certinho!!  No 5km há um portão de corte, em que passam apenas 60% dos atletas. 
Ou seja as duplas que desejam ir para os 11km e que estejam dentro dos primeiros 60% passam. No 11km há outro corte para quem deseja ir para os 21km. Mas passarão apenas 20% dos atletas. 
Esta é minha maior preocupação. Isso por que desejaria muito me desafiar para os 21km. Sei da grande dificuldade por conta destes 20% comer o couro. Mas gosto do desafio. É uma prova muito difícil. Meu sub2h para Meia do Rio é fichinha frente a este desafio e por sinal posso frustrar o sub2h. Indo para a prova posso voltar machucada, posso quebrar a cara, voltar de queixo quebrado. Mas esta prova me instiga muito mais que o sub2h. E caso conclua 11k estarei feliz, caso conclua 21k estarei MEGA POWER feliz. E se quebrar a cara e frustrar RIO também estarei feliz. Eu AMO correr, amo quando me dá prazer. O pontos, interrogações, exclamações são consequências e o que me motiva ainda mais. 


Fora que esta em contato com a natureza é bem mais prazeroso. Costumo dizer que se tivéssemos mais provas deste estilo eu me saia do asfalto. O prazer que provas de aventura e trilha dão nem se compara com o asfalto.  O sentimento dos atletas e as qualidades, experiências são evidentes. A solidariedade frente a outros atletas. Isso não preciso que me falem, já que tenho vários amigos neste perfil de prova, eu vejo e percebo. Principalmente quando vou pedalar em trilhas. Mas enfim....


Feita a apresentação indoor, partimos para a trilha. Afinal corredor que é corredor, bom mesmo é em campo.

No sábado iniciamos pelo trecho que vai mais ou menos dos 13km e dá para os 21km - o trecho MEGA POWER. Quer por sinal passa na cachoeira do Tiburtino. Trecho difícil, mas não tão difícil quanto o POWER (que trata-se de uma subida de pedras). Ao meu ver a dificuldade nesta parte será muito mais vencer o cansaço. Também é preciso cuidado, na parte da cachoeira. Atenção na transição da cachoeira. Segurar na corda de passagem. Para as baixinhas como eu, dificuldade também nas pedras. Arrastar para descer em algumas pedras. Cuidado para não escorregar. 
A visão é simplesmente perfeita. Dá vontade de ficar. 
Como estávamos apenas conhecendo deu para fazer uma parada para banho. 


Parte do percurso Mega Power 

Ao longo deste percurso passamos pelo projeto Sempre Viva e Museu do Garimpo. 

Finalizado o trecho Mega Power fomos tomar um cafezinho no Bicafé antigo café.com. Lá também tinha açaí. Delícia!!!! Fizeram até um sorteio de uma massagem. E a sorteada advinha??? Euzinha!!! E que massagem. Muito boa. Com a Ana Gabriela, que por sinal irá trabalhar na corrida e também atende nas pousadas. Bom demais!!!!!!!!!Mãos de fada.

Na noite de sábado fomos para o Point da Chapada. Pizzaria com sabores exóticos  e diferenciados. Primeira vez que como uma pizza de berinjela. E aqui entre nós!!! Eu gostei. Alguns nem tanto por optarem por sabores mais comuns. Mas lá tem para todos os gostos. 
Fechada a noite... CAMA!!!!

Domingo:

No domingo iniciamos com aquele cafezinho. Desta vez me alimentei direitinho antes de sair para correr. O horário marcado foi às 8:30. Saída para reconhecimento do percurso LIGHT e POWER. Ou seja 5km e 10km. 

Nem todo saíram para correr. Alguns devido a trabalhar no dia seguinte optaram por não fazer. 
Queríamos fazer até os 21km. Mas em consenso decidiram perfazer apenas 11km para adiantar nosso retorno para Salvador. Este trecho da corrida, na parte de transição passa em frente ao cemitério Bizantino (único cemitério bizantino na América Latina). Os primeiros 5km são planos e tranquilos de fazer. No entanto passado do portão dos 5km para os 11km trata-se de um trecho bem difícil. Na minha opinião o mais complicado. Cada corredor responde de uma maneira. Uns gostam, outros não; Para uns pode ser mais fácil, para outros ter suas adversidades. O importante é "curtir" conforme planejou.



O trecho dos 5km para os 11km é de subida, subida e subida e subida..... Pedras soltas, o que demanda bastante cuidado. Atenção para não escorregar. Há trechos que são impossíveis de correr. O rarefeito incomoda. Cada um com suas dificuldades e respostas. Consegui concluir até o fim, mas fui a única mulher dentre os homens.  Curti muito fazer este trecho, mas receio no dia da prova. Acredito que uma boa corrida é questão de dia. De estar bem. Sempre será uma surpresa. Posso chegar e no light não aguentar mais. Ou quem sabe ir até os 21km.  O corpo será sempre uma caixinha de surpresa. Agradeço aos meninos pela companhia. Foi muito bom estar e aprender com vocês.



Concluído, voltamos para a pousada e já nos preparamos para o regresso. O almoço foi no Hotel Alpina . Aquele almoço digno de atletas. Maravilhoso!!!

Por fim tivemos que regressar, já na saudade e contando os dias para a Corrida do CT. Esta vai ficar para história e sem dúvidas será muito divertida. 



Quero deixar meu agradecimento a Diana e Alan pelo convite. Estive em falta nas provas de bike, mas amei a Fun Tour e senti-me agraciada por este belo convite. Obrigada pela lembrança Di. Tenho certeza que faremos outros. Muito bom passar este fim de semana com vocês. Desejo que esta corrida seja sucesso e com certeza será. No que precisar conte comigo!!!!

Imagens by  Renato Maia, Down, Fábio Pina , Bruno Pitta , Patricia Narriman, Henrique, Fabiano, Alan, Jayme, Fernando, Alexander,Alan, enfim fotografos apareçam.....

#funtoursports #gantua #chapada #mucugê 

Um comentário:

tutta disse...

Adorei o texto e as paisagens nas fotos Dart.
Deve ter sido maravilhoso.
Abraço e boas corridas.


tutta-Baleias/PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br