domingo, maio 31, 2015

Eu confiei, acreditei e eles nos surpreenderam!!!.... Running Daventura 2015



Minha relação de amor com a Running Daventura não é de hoje, nem de ontem. Vem de longas datas e marca meu princípio de corrida. Início de desafios!! Esta jamais deixará de existir em meu calendário de corrida, por erros humanos que ficaram no passado. O verdadeiro atleta após erros, quedas e obstáculos supera qualquer falha. E volta a tentar.

(abrindo um parênteses para uma historinha!!!... rs!)

Um dos exemplos mais próximos de superação que  temos na história do atletismo é a do Vanderlei Cordeiro. Que por sinal nos rendeu a única medalha de bronze que o Brasil já recebeu em maratona Olímpica. Ademais um ensinamento sem tamanho. Até hoje tenho gravada em mente esta cena. Quando no 36km, focado por vencer a maratona, Vanderlei levou um susto e foi empurrado para fora da pista de atletismo por um invasor - o irlandês Neil Horan.  Eu não conseguia imaginar como ele ainda tinha se reerguido e continuado a correr. Só quando o conheci pessoalmente que fui entender o tipo de ser humano que ele é.

Em uma corrida, tive a oportunidade de assistir uma palestra com o Vanderlei Cordeiro e este nos disse, emocionado, que aquela tinha sido a prova mais difícil da sua vida. Pensou em desistir. No entanto ele só tinha duas opções. E a que fez foi se recuperar, mesmo sem forças e seguir firme em frente. Ao menos para tentar concluir. Sabendo também que havia muitos brasileiros torcendo por ele. Este com sua força de acabou nos trazendo uma medalha de bronze e no encerramento dos jogos olímpicos ainda foi condecorado com a medalha Pierre de Coubertin. Uma medalha que é concedida apenas aqueles que tem espirito esportivo.  Ele nos mostrou que não só era um excelente corredor, como possuía elevada humildade, que valorizava a competição olímpica muito mais do que a própria vitória. Muitos de nós amadores (e não me isento) precisamos aprender e ter em mente este exemplo do Vanderlei.

Mas continuando....

Pelo quinto ano consecutivo tenho o prazer de participar deste evento e como sempre sair satisfeita. Muito feliz com o contato com a natureza e com o nível de dificuldade da prova. Cada ano a RD nos surpreende mais!!! E que trilhinha boa!!! A Sapiranga já é minha paixão tanto na corrida quanto nos pedais. Uma pena quem perdeu esta delícia!!!  

RD eu corro desde 2011 e sempre farei de tudo para estar presente (aqui podem conferir alguns relatos das minhas últimas participações  2011, 2012, 2013, 2014). Algumas até deram pódio (peguei depois já que não esperava subir. Mas tá valendo). Mesmo com sentimento do "sair para correr que eu adotava" sempre foi um prazer e as consequências foram as melhores. Além do pódio, o blog ainda recebeu um troféu de agradecimento.

O mais importante  e instigante sempre foi o desafio. Ah! destes eu gosto. De ter corrido os 8km, 14km, e 21km - por duas vezes. O contato com a trilha é o que mais me interessa participar. Tendo em vista que ela nunca será a mesma. Ora uma árvore poderá cair, ora uma pedra, tudo muda constantemente. Assim como a vida.

Estamos em constante mudança. Ora queremos algo, ora outra coisa. E o que seria de nós se todo dia fosse tudo igual. Costumo comentar..... que se a Bahia investisse mais em provas de aventura, trilhas, eu caia fora de asfalto e pulava para natureza. Meio difícil, já que minha paixão é correr e em qualquer lugar... mas todo dia se tem uma meta....o que seria da gente sem desejos!!!



Pois bem!!! O evento deste ano foi organizadíssimo. Bombeiros, seguranças, kit ok!! (por sinal achei a camisa bonita), água gelada pelo meio do percurso. Bastante staffs. Muitos fotógrafos (para quem gosta!!!). Deram um show de organização. Ao final ainda teve aula de zumba e muita animação. Acredito que dado ao fato ocorrido ano passado eles passaram por cima e foram  muito felizes com o evento deste ano. Penso que todos tem direito de errar, e a estes deve ser dado uma segunda chance. Eu acreditei e mesmo alguns criticando por ir novamente, estive presente e sempre estarei, goste ou não. Aquele que nunca errou atire a primeiro pedra. Tenho certeza que não fica um!!!!

Quanto a minha corrida.... Após a FUN TOUR!!!humm nossa!!! voltei maravilhada e com a cabeça meio pelo avesso querendo mudar todos os planos. Sou EU!!! Para a Daventura meu professor não me passou nenhuma estipulação de tempo, nem nada para que fizesse. Fui sem objetivo nenhum e creio que na saída errei e feio. DE NOVO!!! Sai um pouco forte, sei lá!!!...dei chabu ou não, mas curti. Não levei carboidrato e acabei sendo contribuída por uma aluna do prof. Jardel (não sei o resto do nome da assessoria / camisa amarela); Esta foi minha parceira até o final da corrida.

O percurso foi modificado com relação a anos passados, em muitos momentos reduzi a velocidade e andei muito (rs!!). Dado o fato de ter fechado 57km na semana, acho que não fui tão mal. Pelo meu garmim fechei em 1h09 (quando resultado for oficializado edito).

Estou bem satisfeita com meus resultados, dado a minha rotina, e o quanto tenho ralado para cumprir treinos, planilha e cobranças com a faculdade.  O que mais me cansa de fato não são os treinos e sim o estudo. Provas de faculdade, corridas e mais corridas. Ás vezes me sinto uma guerreira em conseguir fazer tudo que consigo.
Se parar para contar as corridas que já fiz este ano, tenho certeza que nem se comparam as do ano passado.

Não utilizo aqueles como desculpa por não colher mais e melhores resultados. Jamais!!! até por que seria uma fuga. Faz parte de mim não querer resultados rápidos. Tudo que alcanço muito fácil eu digo NÃO. É assim na corrida e na minha vida profissional. Sempre fui impelida ao desafio e  a dificuldade. As coisas que conquisto são com dificuldade. E Muita!!!!

Meu crescimento tem sido bom!!!! Tenho muito cuidado e constante preservação com meu corpo. Seguro e seguro constantemente o quanto precisar. Por enquanto meu desejo não é ir ao limite. Adoro quando me incentivam, AMO!!! Desde que sem pressão e que vire obrigação. Aliás muitos, e os que de fato me conhecem sabem me incentivar ao seu modo. O que busco na corrida vai além de pódios.... Quero correr para vida toda!!! mas isto é papo para outras postagens!!!!....

No mais foi muito bom retornar e estar no Castelo junto com a Running Daventura. Confio demais no trabalho de Tiago e Carol e sempre estarei presente no que precisar ajudando a  estas pessoas do bem.  

sexta-feira, maio 29, 2015

Vida Corrida no Fun Tour Sports da Corrida do CT - Gantuá

A convite da Gantuá Multisports Eco Adventure  , este foi um dos fins de semana mais incríveis que pude ter correndo. Isto por que, junto com mais 20 pessoas - dentre prof. de assessorias, jornalistas e entusiastas do esporte, estive em Mucugê conhecendo o percurso da corrida do CT que ocorrerá dia 4 de julho.  Tratou-se de um Fun Tour, com a prévia da corrida de trilha. E é claro correndo!!!! Por que conhecer caminhando ninguém merece!!! rs!!! 
Há muito que queria voltar a Mucugê mas nunca dava certo. Ou seja, no dia que o convite bateu na porta nem tive como recusar. Foi um SIM de imediato. E com certeza não fiz escolha melhor. Equipe maravilhosa, tanto a da Gantuá como a turma que viajou. Todos de fácil adaptação e sem frescuras. Mas vamos aos mínimos detalhes e a parte principal.... a Corrida do CT!!! 

Saímos de Salvador na sexta-feira, 22 de maio às 17:30. Na ida, ainda que timidamente a turma timidamente já vinha animada no buzu. 


Imaginando como seriam todas estas atividades que constavam na nossa programação. Aos poucos um bate papo daqui, outro dali íamos dividindo nossas aventuras de bike e corrida. A ponto de em pouco tempo estarmos nos sentindo amigos de infância.E por mais incrível que pareça compartilhando pedais em comum que participamos, mas não nos conhecíamos. E claro, como o mundo é pequeno, com muitos amigos em comum. Por toda viagem esta só foi crescendo e nos entusiasmando ainda mais.

Chegamos em Mucugê por volta de 1 hora da manhã. Durante a viagem fizemos uma parada em Feira de Santana, para pegar mais alguns dos convidados e em Itaberaba para um lanche. 


Já na cidade da chapada, os atletas foram sendo deixados nas pousadas. Os primeiros no Hotel Alpina,  Pousada Recanto da Chapada e por último - na Pousada Mucugê, onde tive o prazer de passar estes dias lá. Que foi tanto sucesso que a pousada lotou e fiquei de fora. 



Prazer ainda maior em saber que o dono também era atleta e dividiu correu conosco por todo tempo. Aliás que também vai participar do CT e deseja bater seu recorde. Claro que isso faz todo diferencial. Gente da gente!!!! Sabe como deve ser um bom café para o atleta.

Desde a saída de Salvador, a tocar em solo "diamantino" fomos muito bem recepcionados. Diana e Alan, donos da Gantuá não mediram esforços para nos deixar a vontade. Ela fez questão de adentrar no ônibus e nos acompanhar até a pousadas. Mesmo saindo de um aniversário de 15 anos. 

Ainda tem mais... uma recepção carinhosa que nos fizeram. Com kits personalizados em nossas camas. Eu estava  muito cansada quando lá cheguei, mas não deixei de admirar este belo gesto. Kit com mapa da Trilhas e caminhos, camisa, squeeze, cartinha com meu nome. Me senti abraçada naquele momento pelos dois.

Eu e minha parceira de quarto (Patrícia Narriman) fomos dormir 2 horas da manhã. 
Uma turma massa ficou na nossa mesma pousada. Aliás, a turma escolhida a dedo era muito boa. O que nos permitiu ter uma ótima experiência. Tive a oportunidade de correr com excelentes professores de Salvador.

Sábado:


Embora tivesse dormido às 2 horas, havia combinado com Renato Maia e Patrícia Narriman de acordar para fazer um treino logo cedo. Ou seja, dormir?? Acredito que foram apenas quatro horas e meia de sono. 


Eu tinha 18km na planilha. No entanto sai do hotel com apenas duas bananinhas no estômago. Quem me conhece sabe que não funciono sem meu bendito café. 


A paisagem era linda, mesmo assim não favoreceu para que minha corrida matina fosse perfeita. Um amanhecer do sol belíssimo. Mas começamos mal, por ter pego a direção do percurso ruim. Um parte da BR que havia somente subidas e mais subidas e carros de alto porte tirando o fino na gente. Ou seja, ladeiras + rarefeito + carros = dificuldade. 


O  que deveria ter sido um treino de 18km, acabou "morrendo" nos 10km mesmo. Ahhh!!! mas não fiquei tão triste assim não, afinal o dia estava apenas começando e sabia que o fim de semana seria inesquecível.



Voltamos para o hotel e ai sim tomei aquele sagrado café da manhã. De dá gosto!!!! A mesa da Pousada Mucugê foi linda e caprichada. Com diversos produtos da terra, bolos, pamonha, frutas, iogurte, vitamina de abacate...um monte de coisas.  Algumas iguarias ao sabor da Vovó Ilza ( que por sinal depois fiz boas compras).  Só senti falta de uma coisinha - vou dizer para ajudá-los a cada vez mais aperfeiçoar aquela mesa gostosa - faltou um aipim. Ahhh, mas teve beiju, cuscuz de tapioca, ovos. 

Às 10h deram início a palestra de apresentação da corrida em trilha.  Todos bastante atentos tentavam compreender a estrutura da prova. Bem diferenciada. Um pouco complexa e muito difícil de completar. Vale lembrar que o evento acontecerá em média dentro de 13 horas. Visto que ao mesmo tempo que ocorrerá a corrida de trilha, estará acontecendo a corrida de aventura (MTB, Trekking, rapel, e orientação).


Acima - minha cara de preocupação quanto ao nível de dificuldade da corrida. Achei bem difícil. Queria ir até os 21km, mas não sei se chego. Muito difícil e vocês entenderão melhor assim que eu explicar por que.

Falarei especificamente da corrida de trilha. O que de fato nos interessa. Esta será disputada em duplas. (No início achei meio estranho, mas após percorrer todo o percurso, vejo a importância da dupla). Serão as seguintes categorias:


Dupla masculina (dois homens)
Dupla mista (um homem e uma mulher)
Dupla família (dois parentes)
Kids individual (até 12 anos)
Achei meio injusto a dupla feminina disputar com a mista, mas me explicaram que esta ocorre, devido a quase nunca se ter muitas duplas femininas. Não tendo 15 duplas no mínimo eles não fazem pódio de duplas femininas, dai por que estas disputam juntas com a mista. Destas duplas, ao longo da prova não é permitido se distanciar do parceiro por mais de 5 metros.

PARTE IMPORTANTE!!!

Algo que me despertou curiosidade e instigou a encarar o desafio é que você não escolhe o percurso que deseja fazer - 5k (Light), 11k (Power) e 21k (Mega Power) no ato da inscrição. Pelo contrário. Você precisa conquistá-lo. E é ai que mora o perigo. Você pode sair sorrindo a toa ou chorando por não ter concluído como queria. Mas também instigado a conquistar no ano seguinte. É pauleira, mas vale a pena. 

E como será feito esta escolha do percurso?? 

Bem, a escolha do percurso se dá no momento da prova. Por ser muito difícil todos completarem, a passagem de um percurso para o outro se dá por meio de corte.

Todos correrão juntos os 5 primeiros quilômetros. OK? Certinho!!  No 5km há um portão de corte, em que passam apenas 60% dos atletas. 
Ou seja as duplas que desejam ir para os 11km e que estejam dentro dos primeiros 60% passam. No 11km há outro corte para quem deseja ir para os 21km. Mas passarão apenas 20% dos atletas. 
Esta é minha maior preocupação. Isso por que desejaria muito me desafiar para os 21km. Sei da grande dificuldade por conta destes 20% comer o couro. Mas gosto do desafio. É uma prova muito difícil. Meu sub2h para Meia do Rio é fichinha frente a este desafio e por sinal posso frustrar o sub2h. Indo para a prova posso voltar machucada, posso quebrar a cara, voltar de queixo quebrado. Mas esta prova me instiga muito mais que o sub2h. E caso conclua 11k estarei feliz, caso conclua 21k estarei MEGA POWER feliz. E se quebrar a cara e frustrar RIO também estarei feliz. Eu AMO correr, amo quando me dá prazer. O pontos, interrogações, exclamações são consequências e o que me motiva ainda mais. 


Fora que esta em contato com a natureza é bem mais prazeroso. Costumo dizer que se tivéssemos mais provas deste estilo eu me saia do asfalto. O prazer que provas de aventura e trilha dão nem se compara com o asfalto.  O sentimento dos atletas e as qualidades, experiências são evidentes. A solidariedade frente a outros atletas. Isso não preciso que me falem, já que tenho vários amigos neste perfil de prova, eu vejo e percebo. Principalmente quando vou pedalar em trilhas. Mas enfim....


Feita a apresentação indoor, partimos para a trilha. Afinal corredor que é corredor, bom mesmo é em campo.

No sábado iniciamos pelo trecho que vai mais ou menos dos 13km e dá para os 21km - o trecho MEGA POWER. Quer por sinal passa na cachoeira do Tiburtino. Trecho difícil, mas não tão difícil quanto o POWER (que trata-se de uma subida de pedras). Ao meu ver a dificuldade nesta parte será muito mais vencer o cansaço. Também é preciso cuidado, na parte da cachoeira. Atenção na transição da cachoeira. Segurar na corda de passagem. Para as baixinhas como eu, dificuldade também nas pedras. Arrastar para descer em algumas pedras. Cuidado para não escorregar. 
A visão é simplesmente perfeita. Dá vontade de ficar. 
Como estávamos apenas conhecendo deu para fazer uma parada para banho. 


Parte do percurso Mega Power 

Ao longo deste percurso passamos pelo projeto Sempre Viva e Museu do Garimpo. 

Finalizado o trecho Mega Power fomos tomar um cafezinho no Bicafé antigo café.com. Lá também tinha açaí. Delícia!!!! Fizeram até um sorteio de uma massagem. E a sorteada advinha??? Euzinha!!! E que massagem. Muito boa. Com a Ana Gabriela, que por sinal irá trabalhar na corrida e também atende nas pousadas. Bom demais!!!!!!!!!Mãos de fada.

Na noite de sábado fomos para o Point da Chapada. Pizzaria com sabores exóticos  e diferenciados. Primeira vez que como uma pizza de berinjela. E aqui entre nós!!! Eu gostei. Alguns nem tanto por optarem por sabores mais comuns. Mas lá tem para todos os gostos. 
Fechada a noite... CAMA!!!!

Domingo:

No domingo iniciamos com aquele cafezinho. Desta vez me alimentei direitinho antes de sair para correr. O horário marcado foi às 8:30. Saída para reconhecimento do percurso LIGHT e POWER. Ou seja 5km e 10km. 

Nem todo saíram para correr. Alguns devido a trabalhar no dia seguinte optaram por não fazer. 
Queríamos fazer até os 21km. Mas em consenso decidiram perfazer apenas 11km para adiantar nosso retorno para Salvador. Este trecho da corrida, na parte de transição passa em frente ao cemitério Bizantino (único cemitério bizantino na América Latina). Os primeiros 5km são planos e tranquilos de fazer. No entanto passado do portão dos 5km para os 11km trata-se de um trecho bem difícil. Na minha opinião o mais complicado. Cada corredor responde de uma maneira. Uns gostam, outros não; Para uns pode ser mais fácil, para outros ter suas adversidades. O importante é "curtir" conforme planejou.



O trecho dos 5km para os 11km é de subida, subida e subida e subida..... Pedras soltas, o que demanda bastante cuidado. Atenção para não escorregar. Há trechos que são impossíveis de correr. O rarefeito incomoda. Cada um com suas dificuldades e respostas. Consegui concluir até o fim, mas fui a única mulher dentre os homens.  Curti muito fazer este trecho, mas receio no dia da prova. Acredito que uma boa corrida é questão de dia. De estar bem. Sempre será uma surpresa. Posso chegar e no light não aguentar mais. Ou quem sabe ir até os 21km.  O corpo será sempre uma caixinha de surpresa. Agradeço aos meninos pela companhia. Foi muito bom estar e aprender com vocês.



Concluído, voltamos para a pousada e já nos preparamos para o regresso. O almoço foi no Hotel Alpina . Aquele almoço digno de atletas. Maravilhoso!!!

Por fim tivemos que regressar, já na saudade e contando os dias para a Corrida do CT. Esta vai ficar para história e sem dúvidas será muito divertida. 



Quero deixar meu agradecimento a Diana e Alan pelo convite. Estive em falta nas provas de bike, mas amei a Fun Tour e senti-me agraciada por este belo convite. Obrigada pela lembrança Di. Tenho certeza que faremos outros. Muito bom passar este fim de semana com vocês. Desejo que esta corrida seja sucesso e com certeza será. No que precisar conte comigo!!!!

Imagens by  Renato Maia, Down, Fábio Pina , Bruno Pitta , Patricia Narriman, Henrique, Fabiano, Alan, Jayme, Fernando, Alexander,Alan, enfim fotografos apareçam.....

#funtoursports #gantua #chapada #mucugê 

sexta-feira, maio 08, 2015

Em 2015 a RUNNING DAVENTURA chega a sua sétima edição

Estou passando para divulgar uma das corridas que não sai do meu calendário, nem em sonho. Trata-se dRunning Daventura, que por sinal já esta bem próxima. Se quiser ir adiante-se.

Este ano  acontecerá em 30 de maio (sábado), na já tradicional Praia do Forte, município de Mata de São João. Contará com os percursos de 10 km e 5 km. 

"O evento terá, mais uma vez, o Castelo Garcia D’Ávila como palco principal. A fortificação é a única com características medievais na América Latina. Além disso, os participantes do RUNNING DAVENTURA passarão pelos terrenos naturais da Reserva da Sapiranga, local de beleza singular, onde a Mata Atlântica se regenera ano após ano.


Está também confirmado o RUNNING DAVENTURA KIDS! Esse segmento foi criado na edição passada com o objetivo de promover a qualidade de vida e a prática de esportes ao ar livre desde criança, proporcionando, assim um dia agradável em família. O RUNNING KIDS contará com percursos de 25m a 1000m, de acordo com a idade da criança, que varia de 3 a 15 anos e acontecerá em ambiente controlado na Arena do Castelo Garcia D’Ávila.

Nesse espaço natural, a fauna e a flora enchem os olhos dos visitantes e, especialmente, a fauna reserva surpresas a quem ali passar: ao longo da Reserva é possível se deparar com alguns habitantes da região, tais como tamanduás, sagüis e bichos-preguiça. Já nas proximidades do litoral, a vegetação predominante é de restinga e coqueirais, o que torna o lugar ainda mais especial.

Como nos anos anteriores, o evento contará com o permit da FBA - Federação Baiana de Atletismo e o apoio técnico da ATEC-BA – Associação dos Treinadores de Corrida de Rua da Bahia."

Instagram: Daventurabr

sexta-feira, maio 01, 2015

Uma corrida inesquecível - XXXIV CORRIDA RAYMUNDO BALTHAZAR DA SILVEIRA


Quando você vai para uma corrida sem estar muito legal. No caminho coisas dão errado. Nos atrasamos. Chegamos quase na cara do gol. Pegamos chuva.
Aquecimento vap vupt, faltando 5 minutos para largada. Disparo.... Paaammm.... Largo.... E de repente. Na chegada levantam uma faixa para que eu passe.
Oi???? Olho para os dois lados e acenam que sou uma das campeãs do geral feminino. 3° lugar! 
Meio atordoada sem digerir ainda....nunca imaginei subir no geral.
Depois da merda que fiz na semana passada. Hoje posso dizer que broquei???? 
Se estava feliz no pódio??? Mas é claro. Fazer o que gosto, buscar um sub2 na meia e consequentemente melhorar nas demais distâncias tem coisa melhor? Não...
Mas sei que este crescimento uma hora estabiliza e é preciso preparo para os momentos em que estarei bem e os que não. Corrida sempre é dia. Nem sempre daremos nosso melhor. 
Agradeço aos amigos que torcem por mim e os que me incentivam constantemente.
Parabéns a todos que participaram da XXXIV CORRIDA RAYMUNDO BALTHAZAR DA SILVEIRA.