sábado, abril 04, 2015

Livre de amarras e vaidades...corra da forma que te dá prazer!!

Amo correr!!!! (Imagem by Edson Magoolin - www.olhonoatleta.com.br)

Há pouco li um texto que me remeteu tudo que penso e um pouco da minha trajetória dentro da corrida. 
Me identifiquei bastante com o pensamento deMarcos d'Ajuda em A sabedoria do Corpo. Crescendo sempre de maneira prudente e paciente dentro deste esporte, tenho visto muitos sempre com pressa e muita sede ao pote. 
Alguns bons amigos que começaram e por ora tiveram de largar por conta de lesões e problemas com o corpo, bem como outros mais antigos - que alcançaram um certo nível de vaidade.
Há tanta pressa em se chegar, pressa em se distanciar, pressa em ser o primeiro a chegar!!! Acredito que não são poucos os corredores que já vivenciaram o que este texto expressa em poucas palavras. Um pouco de ego, um pouco de vaidade, mesmo que imperceptível e sem propósito. 
A certeza que tenho é que compartilho do mesmo pensamento do texto. Sem pressa  e com a certeza que vou chegar, quero correr para vida toda!!! 
        Livre de vaidades e tudo que me prive do prazer. Livre de obrigações e amarras!!!....Crescerei respeitando os meus limites, sempre feliz por cada conquista. Ainda que não tenha sido a conquista que desejará para aquele dia. Afinal não vivo de corrida e devo estar feliz por cada mérito e medalha conquistada. Pórtico a gente cruza é correndo para o abraço!!! Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ


Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Segue o texto do Marcod'Ajuda:

Cansado, o corpo envia compreensíveis sinais através da dor. Incompreendido, aciona algum músculo, osso ou tendão, fazendo o possível para chamar a atenção afim de exercer o poder do convencimento pela razão.
Após tantos avisos, farto de tantos desaforos, o corpo sucumbe perante uma mente contaminada por desejos insuportáveis para o corpo de um corredor de rua comum que, ávido por ser cada vez melhor, extrapola todos os limites do bom senso.
A partir deste momento, impossibilitado de correr por longos períodos, angustiada tentando se recuperar de sua lesão, a pessoa consegue finalmente compreender as fragilidades de seu corpo.
E, principalmente, percebe que planilhas, paces, médias, tiro, treinos funcionais, fartleks, skippings, medalhas, etc… são totalmente insignificantes diante da falta das doses diárias de alguns hormônios liberados durante suas corridas como a serotonina, a endorfina e, principalmente, a dopamina, o hormônio do prazer, que deixam de fluir por suas veias enquanto aguarda o retorno aos treinos.
Algo que fazia tão bem, trazendo muitas sensações de alegria e bem-estar durante e após os treinos, sem que o corredor entendesse, passa a fazer muita falta, causando transtornos que podem provocar o desequilíbrio da sua vida pessoal e profissional.
Estabelecer o máximo de equilíbrio entre corpo, mente e espírito, com atitudes positivas durante os treinos – e na vida – respeitando a si próprio como um todo, entendendo a parte química do ato de correr, compreendendo as reais contribuições dos hormônios doados incondicionalmente por nosso organismo durante uma corrida, podem contribuir para evitar a depressão ocasionada pelo desrespeito a nós mesmos enquanto corremos.
Aprenda a conviver com a filosofia “new life runner” durante os seus treinos, na qual se pratica a corrida de rua não como esporte, na dúvida de ser cada vez melhor, mas como estilo de vida, na certeza de viver cada dia melhor.

*postagem do texto autorizada pelo autor corredor.

Nenhum comentário: