domingo, julho 28, 2013

Circuito das Estações Adidas - Etapa Inverno Salvador 2013


Chuvosa desde o início do fim da semana, Salvador amanheceu de fato com cara de inverno. Às 5:30 um pé d'água, aquele dia propício do jeito que eu adoro, dia para quem sabe um RP. Sempre torço para que em dias de corrida tenha um tempo assim. No entanto pela primeira vez pensei correr ou não correr?? Acredito que a dificuldade com os treinos tenha me desestimulado um pouco. Já já chegam as férias e irei mudar esta situação.

Diferente, a animação do povo aqui em casa era contagiante, mãe e irmã era uma alegria só, até pareciam que iam para uma festa. Vendo aquele povo todo animado, não recuei e disse: levanta a poeira, o astral e vamos...

Até chegarmos no Jd. de Alah a chuva já tinha estiado, sendo assim o momento das fotos que todos adoram não ficou prejudicado. Fiquei feliz com isso, já que entre nós havia uma iniciante - Danuza, uma amiga de faculdade que consegui incentivar a fazer esta corrida. Os demais já eram nossos velhos conhecidos, segunda corrida da minha irmã e de Ricardo, bem como também estava minha mãe, Flávio e  meu amor.

Flávio, meu amor, Mamis, eu, irmã, Ricardo e embaixo Danuza (a iniciante contagiada com a corrida)

A chuva afastou algumas pessoas desta etapa, que embora inscritas não compareceram. Muitos chips ficaram sem uso.

Inscrita nos 10km, larguei de maneira bem tranquila, ou não?? Como estava sem  Garmin (o meu quebrou) não tenho muita noção disso. Fiz uso de um reloginho qualquer e meu único intuito foi cruzar os 5km ainda na margem de 30 minutos. O que ocorreu foi que cruzei com bem menos. Mas no retorno senti um pouco o pé, que deu um estalo no tornozelo e uma dorzinho. Parei para desentortar o bichinho e enquanto isso dei tempo para que Josué da Academia Hammer chegasse até mim, já que passará do outro lado dizendo que se aproximaria.  Escolha bem acertada. Se não fosse a companhia do mesmo talvez eu tivesse recuado. O mesmo também dizia a mesma coisa. Enfim ambos nos ajudamos!!! Na reta final ainda contei com a bela companhia do José Amâncio e do meu amor que já me aguardava. 

José Amâncio, eu e meu amor

Pense no incentivo!!! Amâncio vinha super animado nos buscar, um incentivo e tanto para quem vinha quase capengando, mas sem desistir. Aliás a gente enverga mas não cai!! rs! Hoje meu corpo não respondia, meio esquisito. Mas ainda assim cheguei abaixo de 60'. Cruzei o pórtico com 58'26''. Digo somente uma coisa, tem horas que correr 10km é um sofrimento só. Parece que a gente chega a sofrer mais que numa meia que é bem mais tranquila.

A organização desta vez caprichou na divulgação dos resultados. Quando cheguei em casa, antes ainda do meio dia, já estava divulgado e com certificado. Amei isso, pois já pude divulgar meu resultado com certificado e que bateu certinho com o relógio (1seg de diferença não conta né?). Reloginho do paraguaia, mas funcionou. rs! A corrida também foi bem tranquila, sem incidentes no caminho, ultimamente tem sido assim. Não vi ninguém passando mal. Minha única queixa diz respeito as pessoas que não respeitam a largada por pace. Acredito que outros corredores concordem. Digo isso por que antes mesmo do  1km já vemos pessoas caminhando. Talvez por que largaram forte demais e não conseguem manter. Mas isto é algo que mais adiante as pessoas vão se encaixando ao seu tempo.

Pós prova, mais fotinhas!!! e mais papo com os amigos. 


Não posso deixar de parabenizar a Danuza iniciante que completou bem

Eu e Danuza

a minha mãe, irmã e todos os outros que completaram esta prova. 

Parabéns galera!!! Que mais e mais venham daqui para frente. Sintam-se contagiados por este esporte maravilhoso....

Boa semana!!! e até a próxima corridinha....


#adidas #adidascorrida #circuitodasestações 

domingo, julho 21, 2013

Meia Maratona da Bahia 2013, sob outros olhares

 

Diferente de outros domingos a postagem de hoje será um tanto atípica, não a estranhem e perdoem por ser extensa. Mas vale a pena ser lida!! Em princípio diferenciada por que não participei da corrida  "correndo" e sim fiz todo percurso pedalando e ajudando amigos. 

Explico motivos! Este é um percurso que desde que surgiu o evento nunca me agradou muito. Não sou adepta aos circuitos fechados, para mim já basta as provinhas de 10k desta forma. Embora tivesse ganho uma inscrição na I Meia da Bahia, naquela época passei o presente de grego para meu amor, que correu e se "divertiu". Sendo assim de todas as edições da Meia da Bahia jamais participei, mas acompanhei todas muito de perto. O circuito fechado em meia, principalmente aqui em Salvador desanima muito, digo a mim. Pode não ser também a todos os corredores. Mas acredito que mudando com certeza terão mais inscritos. Não tenho dúvidas!! O calor que faz em quase todas as edições é muito desgastante e quando se tem uma prova linear isso ajuda, pelo menos a "cabeça".

Mas embora não fosse correr, fiz questão de convidar amigos de outras capitais para participar. Para não só virem correr no evento, como conhecer a capital, isso quem não conhecia. Um deles que aceitou o  convite muito fácil e em menos de duas semanas para a realização da prova foi o Sidnei Barbosa de Juiz de Fora - MG, que por sinal infelizmente nem conseguimos nos encontrar; outros já não tão incomuns em Salvador foram os BALEIAS Diogenes e Cida com os amigos Fernando, Aléssio e Rivanilda de Aracaju.

Equipe BALEIAS representada na Meia da Bahia -  eu ainda sem camisa BALEIAS de ciclismo (mas ela virá)

Acompanhei o evento desde o lançamento das inscrições, notícias no jornal... Como montagem - quando ontem estive no local com meus amigos de bike, até a largada e premiação. Percorri todo o percurso e fiz questão de assistir, dando apoio aos amigos que estavam correndo. Afinal quem não sabe que este apoio nos ajuda e muito. Sinto esta falta aqui em Salvador. Os staffs deveriam fazer este papel. Mas só vi dois no maior incentivo, na verdade eram marcadores de ritmo.


Enquanto corredora amadora, não sou das mais comuns que aceita qualquer coisa apenas por AMOR a corrida sem levantar minhas opiniões. Mas também não sou das mais exigentes, já vi corredores piores, tento ponderar minhas opiniões e saber se com todos foram da mesma forma ( claro que nem sempre foi assim). Embora tenha minhas críticas a fazer, tento as fazer da melhor forma possível. Hoje tento acertar. Digo meu intuito não é nem nunca foi denegrir a imagem do evento, afinal valorizo o trabalho de todos. Mas percebo que enquanto blogueiros e formadores de opinião temos sim de servir de exemplo e opinar com certeza. 

Levantar ressalvas e olhares que por ora parece que os organizadores, por estarem atrelados a muitas demandas, esquecem de observar ou fingem não ver. Então penso eu, que somos o olhar que irá ajudá-los a acertar cada vez mais.

Nesta postagem, por não estar inscrita, tentei trazer alguns olhares de corredores que de fato correram inscritos e de outros que acompanharam de forma diferenciada como eu.

Começo pelos pontos positivos para que não fique a má impressão de que eu só quis falar os pontos ruins. Ou seria melhor inverter a ordem?? Para ficar a boa impressão no final. Bem, começo por dizer que o amigo Sidnei, oriundo de Minas Gerais gostou e muito do evento, embora tenha sofrido com o calor. 

Eu particularmente fico muito feliz por isso, afinal meu receio seria convidá-lo e o mesmo voltar chateado.

Pontos positivos: 
Segundo Sidnei  Barbosa o  "cotovelo" no km 9 a 12 não compromete a prova, nem a deixa desinteressante. A hidratação foi um ponto forte da prova - "A organização está de parabéns, pois a hidratação foi perfeita, de 2 em 2km, o que evitou certamente problemas sérios com a desidratação, pois o sol é fortíssimo na Bahia, onde não existe inverno."  Este também foi  um ponto positivo levantado pelo corredor Aléssio de Aracaju. O mineiro ainda complementa "que a medalha foi de bom material, faz referência à Bahia (Senhor do Bonfim) e fez jus ao preço pago pela inscrição e esforço na corrida. Pós prova: Massagem, foto gratuita, banana (boa, de qualidade), maça (excelente tamanho e qualidade), Gatorade, água à vontade. – Muito bom!!!  

O corredor traz pontos a serem melhorados. Para Sidnei a largada deveria ter sido separada, os que iriam correr a meia dos 5km e 10km, pois alguns se enganaram e largaram com a Meia sendo posteriormente desclassificados. A divulgação precisa ser maior. Para o mesmo houve pouca participação na meia maratona em si, mas isso se faz com o tempo e ações de marketing (palavras de Sidnei). No entrega do kit não havia camisas tamanho M suficientes. "O atleta fez a inscrição pedindo a camisa M, mas muitos não receberam. Precisa ser revisto." É uma dica para as próximas edições! Em si o corredor faz questão de ressaltar que a prova foi bem organizada, houve respeito com o corredor representado pela boa camisa do kit, pela excelente hidratação e pela alimentação pós prova.

Tendo trazido para esta postagem apenas o olhar positivo deste atleta, mas você que também correu pode ao fim da postagem comentar sobre o que achou. Vamos lá as minhas intervenções e ao olhar de um outro corredor. 



Como já fiz menção, me ausentei em princípio devido ao percurso da corrida, nada contra a organizadora em si. Mas quero trazer outras condições que precisam ser analisadas e há muito já não faço aqui no blog. De vez em quando precisamos retomar algumas questões que ficam esquecidas.  Este ano tenho me segurado bem $$$ com relação a inscrições.. A questão tem sido séria, o BOOM não tem volta e é preciso que nos seguremos financeiramente para o crescimento de corridas na cidade de Salvador. 

Não dá para a gente querer correr todo fim de semana $$$. E digo não só por que não queremos pagar tão caro para correr, mas passamos a permitir certos preços e esta tendência será aumentar cada vez mais. Sei que hoje muitos, dos amigos, que começaram a correr na época que eu comecei já não correm tanto as provas. Principalmente devido a este fator.

O que sugiro??...

Penso que por parte dos organizadores é preciso repensar novas estratégias para rebuscar aqueles corredores que não querem mais correr devido aos preços. Uma delas, alguns já estão pondo em prática, que é a criação de kit básico com preço mais em conta
Ao corredor que já tem anos de corrida o kit já é algo que já não faz tanta diferença e acredito que por exemplo o organizador dizendo é x pelo número de peito sem isso e sem aquilo com certeza o atleta não deixará de correr por que era tanto $$ a corrida. Digo isso por experiência de amigo, que ontem, na entrega do kit foi surpreendido por um senhor que queria comprar apenas o número de peito. O que ele queria era correr e nada mais!! Há quem queira correr, e há quem queira apenas o kit. Cansamos de ver pessoas que no 1km já não conseguem mais correr, mas que se inscreveu para ter aquela bela camisa. A gente sabe que isso é comum. E tendo o número de peito o corredor não precisará se sujeitar correndo de pipoca como estão fazendo.
Quem acompanha meu blog sabe que sempre fui e mantenho minha posição contra pipoqueiros. Penso que se não pagou não se deve entrar de penetra. Mas minha forma de enxergar o pipoqueiro é da seguinte forma: aquele cara que vai a prova dizendo que vai usufruir da rua, mas que além de correr faz uso dos pertences da organizadora. Ahh ai já é demais!!! Correr até pode, mas pegar a água da galera e isotônico NÃO. 


Pois bem!! Mas também não concordo com a organizadora propor uma campanha anti pipoqueiros, nas redes sociais e até buscarem nosso apoio, mas na prática e no desenvolvimento da corrida agir de forma incoerente com o proposto. 

Faz-se uma campanha contra pipoqueiros mas na hora de contratar marcadores de ritmo querem serviço quase que gratuito. Pera lá!!! Para tudo....que a gente desce... Os corredores em si "pagaram" R$80,00 para correr, será que não dá para pagar os marcadores?? Ser marcadora de ritmo quase que gratuita???? usufruir e explorar o trabalho dos corredores  em troca de um kit de corrida, ou seja R$80,00 que não será líquido é esquisito. Ai não condiz com a campanha que a organização levanta. A organizadora que se propõe a fazer uma campanha destas deveria no mínimo pagar o marcador de tempo para poder dá exemplo. Parece um tanto "mesquinho", eu ganho de vocês e é isso!! Lembro que na Golden Four Asics alguns amigos meus foram marcadores e estes ganharam além do kit, um conjunto com o tênis lançado para a prova, bermuda e camisa da marca.

Quando comentaram comigo a respeito do assunto, perguntando se eu queria ser pacemaker (marcadora de tempo) apenas agradeci e passei para quem quisesse. Acredito ser uma experiência diferente, mas estaria concordando com o fato.

Algumas vezes já ganhei kit de corrida por possuir blog, aceitei e sei que isso se deve ao fato de publicarmos postagens ao fim e dá uma visibilidade maior a organização. Não me senti usada, pois em todas as postagens mantive minha opinião sem censura. Não precisei ser boazinha e mentir até por que seria infiel de minha parte agir desta maneira com quem lê o blog. Há quem pense diferente. Talvez por que ainda não tenha enxergado a corrida além do evento em si. Leiam mais, procurem saber mais além dos bastidores!!! não precisa ser amigo de ninguém para saber de nada, basta ler revistas de negócios, sobre economia, política. Saibam que até nelas vocês irão encontrar coisas sobre corridas. Não só as meras revistas propagandeadas.

Precisamos despertar para os rumos que o mercado de corridas vem tomando, não só em Salvador mas no Brasil. Esta foi uma das posturas da organizadora que me deixou encabulada e de certa forma chateada! Perdoem, mas precisava me posicionar, pois estava me incomodando ver esta situação ocorrer. Embora amadora, olho também pelos atletas que são profissionais e vejo o pacemaker como profissional.

Valorizo, acolho bem, incentivo o povo a participar e quero que mais eventos deste porte retornem para Salvador até por que foi bem organizado, bonito. Mas espero que não só respeitem corredores amadores, como  profissionais. Seria justo R$400 no pódio de quinto colocado geral numa estrutura de corrida deste porte?? Olha prefiro nem enveredar para este outro lado, se não é hoje que esta postagem não conclui.

Sei que não sou a única que discorda de certas coisas impostas por este mercado, no entanto muitos se calam. Sabe aquela história de que é melhor ser seletivo nas batalhas, estar em paz, que estar certo? É mais ou menos assim que alguns pensam e se deixam levar pela emoção de correr. Aliás pela PAIXÃO que nos move.

Bom saber que não se trata de uma maioria. Por exemplo acompanhando a corrida de hoje, logo cedo encontrei o amigo corredor Ivan Hostil que não inscrito ainda assim fez questão de participar todo percurso carregando um cartaz de protesto. Como disse NÃO apoio pipoqueiros. Mas admirei a coragem e garra do rapaz, que fez  questão de não se utilizar de recurso algum do evento - nem tampouco água, apenas seguiu correndo todo percurso com seu cartaz de protesto. E que por sinal foi apoiado por muitos. Hoje pode ser um, amanhã diversos, assim pensei!

Segundo Ivan seu protesto deve se aos preços praticados pelas organizadoras. Ele acredita que as corridas precisam manter o caráter popular. "Se são necessários preços tabelados, que se criem descontos para que um cara que ganhe um mínimo, possa arcar com uma, duas provinhas de boa estrutura por mês. Eu poderia ter sacrificado algumas coisas e ter feito a prova, mas se a gente cede todo o dia, todo ao ano haverá reajustes e as corridas mais queridas e populares vão ficando cada vez mais distantes das pessoas menos privilegiadas financeiramente. 

"O percurso escolhido é legal e dinâmico. A alegria dos estreantes e a determinação do público diferenciado da meia torna aqueles minutos pré prova e do pós mágicos - Ivan". Os corredores se identificaram bastante com o protesto que decidi iniciar. Recebi aplausos, afagos, palavras de carinho. Estou certo de que hoje foi passada uma mensagem, a voz de um corredor e que os iniciantes, público-alvo de quem cobra tão caro, levem a frente essa ideia. Quem sabe não se cria um preço padrão ou mais justo para as provas no Brasil após isso?"


Enfim é isso gente, vou tentar não me estender mais por que sei que vai ficar cansativa a leitura, se já não esta. 

Agora sobre o meu olhar com relação ao  evento

Sob meu olhar de cima da bike a corrida foi bonita, super tranquila, sem grandes problemas. Não presenciei pessoas passando mal - embora estivesse quente, a hidratação de fato foi positiva vi o pessoal comentando, falaram da boa aferição do percurso que bateu certinho. Assim como muitos amigos  falaram super bem da organização. Gente que até baixou tempo neste calor. Ou seja os pontos que levantamos a serem melhorados são poucos.


Eu particularmente me diverti bastante pedalando e incentivando a turma. Sei que a turma gostou do apoio hoje e com certeza irei repetir em outras provas que não esteja inscrita.

Espero que goste da postagem e caso queira deixar seu comentário sinta-se a vontade para comentar. Fale como foi sua corrida, o que achou, tenho certeza que estes comentários ajudarão aos organizadores.

Por fim quero Parabenizar o campeão masculino da prova. Aliás as mulheres, a Maryli, aos corredores das categorias PNE que admiro demais e todos os corredores que concluíram esta prova mesmo debaixo de um sol de rachar. 

Tenho lá meus motivos especiais para parabenizar Giomar, um deles por ser meu conterrâneo e um GUERREIRO. Somos da mesma cidade, Jacobina. 

Então parabéns Giomar!!!!


BOA SEMANA turma, bons treinos!!!.... 

ps: novas imagens serão inseridas

domingo, julho 14, 2013

Circuito Salvador Powerade / Corrida da Independência TV Aratu 2013

 Com ele a corrida fica ainda melhor


Sei que mal deu para vocês lerem a postagem da Meia Maratona do Rio de Janeiro  e já vou eu participando de outra corrida e vindo com nova postagem. Bem, mas é assim mesmo!!! só colocando uma outra corrida na frente, para eu parar de falar da meia do RIO. O povo e o amor já não aguenta mais. rs!!! Parece que ainda não acordei do Rio.... caramba!

E falando em acordar.  Eu sinceramente não me reconheço hoje em dia. Como ando tão relaxada!!! Acreditam que hoje acordei atrasada para a corrida?? Aliás atrasada, mas que deu para voar e conseguir chegar no horário combinado com a minha carona - Cássia. Mas sinceramente se arrumar voando não é de Deus. Imagine em 30 minutos - banho, fazer café etc e tal. Em pensar que quando comecei a correr e lá ainda no início dos relatos de corrida eu não só sofria de véspera, quase não dormia, isso quando não tinha insônia. Levantava com 1 hora, 1 hora e meia de antecedência para me arrumar com calma. Realmente é de se espantar, ando muito relaxada.

Tá, mas o friozinho na barriga continua o mesmo. E quando ele deixar de existir  me assustará e muito.

Além de mais um dia de corrida, este era  ainda mais especial!!! Eu e meu amor estávamos completando bodas de açúcar juntos - 6 anos de namoro. E ele não podia me dá presente melhor, que participar desta corrida também. Ele sabe o quanto eu fico feliz em vê-lo correndo. Mas ahhh se ele treinasse!!!...

E ahhh se eu treinasse decentemente, talvez pudesse ser ainda melhor. 
Logo sabendo que este não é meu intuito principal. Mas ahhh se fosse....será que estou tendente a mudar de novo de conceito??

Como hoje estava retornando da meia maratona, optei por correr 5km. Muitos sabem que este não é meu forte, aliás eu não consigo lembrar quando foi minha última prova de 5km. Acredito que em 2011. Ainda sabendo que nos 10k daria premiação para faixa etária, acabei partindo para os 5km mesmo ( éehh e se tivesse ido para os 10k, era pódio com certeza). Mas o que importa é participar e não apenas correr atrás de pódio. Pódios são mera consequência, e quando a busca por este se torna incessante, penso que a corrida deixa de ter graça. Perde se a graça de correr por gosto, para correr contra relógio. Meu pódio de hoje foi ter meu amor correndo.

Na verdade as provas curtas nunca foram minha preferência, devido a ter de sair num suspiro e voltar neste mesmo. Quando você pega fôlego, a prova acaba. É muito estranho!!! Mas  o bom é se desafiar. Enquanto nos 10,  21k dá tempo de você equilibrar o corpo, nos 5km sai virada no "estopô". risos!!! 

E até que não me sai tão mal. O João havia me "apertado a mente" e me desafiou concluir com 27 minutos. Fui e  foi o que fiz. Aliás sem parecer arrogante, dava para ser ainda melhor se eu não tivesse retornado para pegar a viseira que voou duas vezes. Que meleca, eu já sei que voa e fui para a prova de viseira. #Saco!!! Assim acabei chegando em 27min 40seg. Um pouquinho menos e eu voltaria ao tempo que já fiz quando comecei a correr. Oficialmente o tempo bateu certinho e fiquei em primeiro lugar na minha faixa etária.




Embora não tivesse ido ao pódio, esta prova pode me mostrar que posso melhorar, e que posso usar estas pequenas distâncias como "arma"  de treino para as provas de resistência. Só assim para eu chegar ao sub2h que tanto espero na meia maratona. Feito este sub2h acredito que estarei pronta para a maratona.

Cumprida a meta de hoje.... hora de falar um pouco da organização da Corrida da Independência. Organização boa merece ser comentada. Não sei se já perceberam, mas deixei de falar na postagens quando a organizadora é ruim. Simplesmente me atenho apenas a comentar sobre minha corrida quando a organizadora deixou a desejar. Mas quando esta é boa, merece sim comentários e sem dúvidas ao meu ver de amadora a TV Aratu sempre capricha, toda a equipe.

Esta já é minha terceira participação neste evento e sinceramente não tenho do que me queixa. Tenho percebido que a cada ano ela só tem evoluído. Seja com a mudança de percurso - que antes era no Comércio, seja nos preparativos pré prova, na comunicação fácil e imediata via rede social, no dia do evento etc e tal. 

A prova foi super bem organizada e para mim que corri 5km não vi maiores problemas, nem pessoas passando mal. Muito legal mesmo. Pois isso nos dá segurança de participar de eventos assim. Eu Dart costumo bloquear quando vejo muita gente passando mal. Ao meu ver hoje foi tudo tranquilo. Isso ao olhares de uma amadora. Organização boa, boa! Dá para a gente perceber o capricho. Por sinal já pretendo correr na noturna que eles fazem fim de ano.

Ahhh sem falar que o percurso bateu certinho com o Garmin. Massa  para um começo de domingo, né??   

Maravilhoso. Ainda mais por reencontrar os amigos corredores - Samuel, Sandrinha, Cris, Mirela, Luciana, Josué, Claúdia, Cássia, Ivan, Mariana, João, Angela, Cleber e tantos outros. Desculpem não nomear todos. 

Hoje também aproveitei  para parabenizar a mais nova maratonista e minha inspiração atual - Cristina Cangussu, que conquistou sua primeira maratona na semana passada, também no Rio. 

Fiquei também muito feliz por encontrar um colega de sala da faculdade, Luis Amorim e meu professor de Direito do Trabalho, ambos correndo!! Bom demais!!! Adoro isso e incentivo o máximo que posso!!! 

E pós corrida, nada melhor como colocar o papo em dia. Etaa e haja papo. Esta Dart já gosta....




Mas confesso... aliás melhor ficar calada....

Um ótima semana galera, e até a próxima!!!!!

 Não deixem de comentar, caso queira!

sexta-feira, julho 12, 2013

Meia Maratona da Cidade do Rio de Janeiro / Parte II - O dia, a corrida!!!

(metros finais da meia  maratona do Rio de Janeiro)

Acordamos ou melhor dizendo madrugamos às 3:50. Havíamos combinado de estar na lanchonete da esquina do hostel às 4:30 para tomar café. Infelizmente ao solicitar meu misto quente para a atendente, o BALEIAL passou a MIL, disseram que não haveria tempo e queriam pegar o primeiro ônibus para a largada. Sai voando, larguei 1 litro e meio de água na lanchonete, assim como o misto quente esta lá me esperando até hoje. E sem pagar... risos!!! Que calote Dart!!!

Preocupadíssima como sou, ainda mais com alimentação pré prova, comecei a enviar mensagens pedindo que alguém levasse algo salgado para eu comer. O que de fato não ocorreu, já que, alguns também já estavam na rua.

A solução foi ao encontrar alguém de Salvador na fila dos ônibus perguntar, na cara dura, se tinha algo para comer. Nesta o Sérgio e a Chris da Família Botelho me salvaram com uma banana. Esperava eu, mais adiante conseguir mais alguma coisa com outras pessoas. Sem sucesso, ao chegar na largada, com mais de 40 minutos de antecedência sai em busca de barraquinhas abertas. Só encontrando empada, daquelas recheadas com catupiri e frango, eu comprei uma e retirei apenas a tampa de cima pequenininha, comi e joguei o resto no lixo. Comendo apenas a parte de cima eu teria, apesar de não muito, colocado pelo menos algo salgado no estômago.

Costumo ter a taxa de sódio e pressão baixos, por isso não podia dá mole com o sal. De fato precisava, nem que fosse pouco, de sal.

Uma banana, este salgado mínimo e um chá matte... lá estava eu na largada rezando para que conseguisse sobreviver com isto no estômago. Não me sentia cheia e ainda pior pela primeira vez tive de usar aqueles banheiros horrendos de corrida. Pois ehhh!! desconhecia a mim mesma naquela corrida. Eu estava de fato extrapolando e passando por cima de muita coisa que não faço aqui em Salvador. Ficar sem comer, e ainda (licença) fazer n. 2 em um banheiro horrível. Segurei o nariz e me segurei para que não acontecesse o pior. Ecaaaa.... estaria eu pagando todos os pecados para correr esta prova?? Depois de tudo?? Nunca foi tão difícil.

Mas lá no fundo, naquela multidão de corredores meu pensamento era.... Se é para ir, que então assim seja e que eu faça bonito - consiga completar em menos tempo que o ano passado. Para completar a prova eu tinha em mãos apenas um sachê de carboidrato, se não fosse o Ênio me salvar na noite anterior. Etaaa amigo que ajuda a gente. Um amor de pessoa, Ênio consegue ser demais. Um cara maravilhoso!!! difícil explicar, mas o Japa é demais. Que não fiquem com ciúmes os demais homens BALEIAS. Gosto de todos. Mas Ênio, é Ênio.


Decidi então que focaria como havia prometido em 2012, apesar de ter descido do ônibus ainda com Ezilda e o Waldeci no momento em que fui procurar algo para comer, eu me desliguei deles. Sendo assim sozinha optei por sair bem próxima ao pórtico.

Estava eu ali, mais uma vez pensando: meu Deus o que a gente não faz por corrida. Refletia sobre tudo que tinha sucedido nos dias anteriores, as dificuldades com a falta de treino, com o chegar ao Rio de Janeiro e naquela mesma hora em que eu amarrava meu tênis e me aproximava ainda mais do pórtico eu dizia: se estou aqui farei esta corrida valer.

Se eu disser que aproveitei a beleza do Rio no momento em que estava correndo, estarei mentindo. No momento da corrida meu foco era por ultrapassar quem estava na minha frente - já que sai muito na frente. Tinha gente demais ao meu lado, bem como aproveitei para me atentar o tempo todo aos postos de Gatorade, água e no momento em que deram fruta. Isso devido a não estar bem alimentada. Não deixei um posto passar em vão, peguei todos, e até mesmo no momento da fruta peguei quase que uma tangerina inteira. Ao mesmo tempo revezei esta hidratação com os géis de carboidrato. O que seria de mim se não tivesse isso??

Mas de fato eu sei que nada disso foi o que me salvou, e sim a alimentação errada do dia anterior. Quando no almoço comemos picanha, gordura, e a noite talharim. Ahhh ai sim eu digo foi um ERRO que veio para BEM. Sem aquela alimentação malfeita eu teria ficado pelo meio do caminho. Estar mal alimentada no dia da corrida seria o pior dos piores erros, e muito perigoso.

By Alexandre Huang (assessor da Marathon Club - SSA)

Como eu estava me sentindo bem, segui num pace massa, até eu mesma me desconhecia. Em Salvador eu costumo me poupar por receio com o calor, como alguns já sabem esta é minha queixa principal e não minto. Minha batata ferve e meu corpo esquenta muito, por isso aqui em SSA sou muito cautelosa.

No Rio este ano a temperatura não só estava muito agradável como cheguei até a sentir frio. Claro que para os paulistas eles achavam quente. Mas para uma baiana acostumada com o sol tinindo, 19 a 24 graus era frio e foi fichinha.

No momento da corrida encontrei diversas pessoas de Salvador, na qual até pude compartilhar alguns quilômetros de corrida juntos – um destes foi o Thomas Kupfer. Muito legal. Pena que a corrida acaba tão rápido. (Será que já tô pronta para outras distâncias?? eis a questão)

Subida da Niemeyer

Ao terminar e olhar o relógio não acreditei, havia batido meu recorde pessoal, mesmo sem a alimentação adequada. Embora o percurso tivesse se prolongado um pouco mais, sendo marcado pelo Garmin como 21.53km, eu havia completado a prova com 2horas 03min e 59 seg, tempo registrado idêntico ao oficial e arbitrado pela organizadora. Diga se não é uma organizadora LINDA!




Ahhh eu não podia ser mais feliz que o momento que olhei para o relógio. Já estava ali doida para prometer de novo. Massssss, pensando bem – na Copa, preferi ser cautelosa e decidi não fazer isso. Mas a vontade era de quem sabe prometer uma maratona. Cadê as más companhias???

Passei direto para a sessão de massagem enquanto sabia que meus amigos ainda estavam pelo meio do percurs, mas logo em seguida fui para o ponto de encontro – Boteco Belmonte, onde encontrei a Elis (aquela moça linda), a Sheyla, Zilda e por ai também fui reencontrando alguns amigos de Salvador. Enquanto isso o Belmonte lotado.

BALEIAS ancorados no Belmonte

Corredores de Salvador no Rio de Janeiro

... Até que a Cida me chamou para assistir a chegada da maratona. Não resisti e fui ver os BALEIAS chegarem.

Ai gente, quer saber momento de emoção??? Se você gosta de corrida, é claro. Experimenta assistir a chegada de uma maratona. É demais.... muita emoção. Até hoje tô rouca de gritar “bora amigo, desisti não. Corrige a postura, vamos faltam 100metros”.

Nossa tinha momentos que dava vontade de invadir a grade e levar a pessoa no colo. Dava uma dor no coração. A pessoa faltando 500 / 100m e aqueles metros finais parecerem 10km. Quantos não pararam na nossa frente mancando, ou com câimbra. Isto quando não estava desabando em lágrimas.

Eu sei, é difícil para quem não vive a corrida me entender. Eu sei por que passo por isso em casa, e quando digo “Mãe vou correr uma maratona”, ela não tem noção do que seja isso. E logo repudie dizendo que quer me ver correndo a maratona no livro. Simplesmente correr é PAIXÃO. Eu amo correr, eu amo vivenciar isso. Ver alguém sofrendo por corrida, não é algo ao meu e ao nosso olhar ruim como o de quem não gosta. A gente não julga, por que também somos LOUCOS por este esporte, por que sabemos o que é chegar ao pórtico, o que é nos desafiar e o que seja esta paixão que move nossa vida.

Quando eu choro ao ver uma criancinha tentando carregar o pai, que mesmo exausto tenta se arrastar até o pórtico e dizer: Filho eu consegui!!!!!!, é por que sei a dedicação que este precisou ter e o quanto estes metros finais são difíceis. Como é para quem está começando nos 5km, nos 10km, 21k e por ai vai.


E é por isso que eu digo, a maratona ela virá, ela pode demorar, mas ela também chegará para mim. Quando eu amadurecer mais, ela virá e eu sei que derramarei estas mesmas lágrimas de emoção, por que só de pensar eu já começo a chorar. Eu vivo, eu AMO correr, e só peço nada mais que compreensão aos que não vivenciam isso e não nos curte!!! Ou se cansam da gente só falar de corrida. Hoje eu sei, me controlo mais.

Eu apoiando Ênio nos metros finais....  teve jeito não, invadi a grade mesmo (e dái??)


A Maratona do RIO mais uma vez foi maravilhosa. A organizadora Spiridon é demais. Não temos nem um “aizinho” a se queixar. Sinceramente procuro um defeito, mas não consigo encontrar. Nada, nadinha, os caras fazem por amor, acredito que eles sim, de fato nos compreendem.

Aproveitando o finzinho da postagem, não posso deixar de agradecer a algumas pessoas que de certa forma me ajudaram a correr melhor. Meus professores de faculdade; meu amor - que mesmo sem viajar ficava daqui na torcida, sem ele Dart não seria nada. Se é que por trás de um grande homem sempre tem uma grande mulher, por trás de Dart também tem um homenzinho maravilhoso!!! Que assina embaixo dos meus desafios e doidices, me apoia, até mesmo tendo de treinar junto. Eu sei que judio dele!!! e sou bem chatinha. Mas é assim mesmo, o que seria da gente sem o AMOR!!! Ahhh também devo aos meus pais e as minhas famílias, de sangue e  BALEIAS!!!!!! 

quinta-feira, julho 11, 2013

Meia Maratona da Cidade do Rio de Janeiro 2013 / Parte I (Viagem, chegada e véspera)


Dia 10 de janeiro de 2013, lá estava eu antecipando e mais uma vez confirmando minha inscrição na Meia Maratona do Rio de Janeiro. Como havia passado por um sufoco com o esgotamento das inscrições, em 2012 (quando tive de ficar na lista de espera), este ano me antecipei e não dei brecha ao azar. Nada de chorar no pé do caboclo, este era o lema.

A promessa de voltar a correr neste evento havia sido feita ainda em 2012, quando eu estava no 13km da corrida e me desabava em lágrimas de emoção. Encantada com a organização MIL, com a estrutura do evento e com é claro a cidade maravilhosa. Eu prometia – Ano que vem virei e farei melhor!!!! serei sub o tempo de hoje - que foi de 2h 05 

Claro que eu não tinha a mínima noção do sufoco pelo qual estaria e teria de passar em 2013. A começar pela faculdade, estar cursando 7 disciplinas nada fáceis – o que me deixava muito cansada para os treinos.

Para a meia deste ano só consegui fazer um longão (ainda assim de forma errada). Com a greve dos professores, nosso semestre esta completamente fora de época e eu também não contava com a sorte de, na véspera da meia maratona ter uma prova de Direito penal. Como muitos sabem eu sempre me matriculo em disciplinas, deixando tempo e dias específicos para treinos. No entanto uma professora, embora sua aula não seja no sábado, costuma fazer prova neste dia. Sorte minha ela ter sido compreensiva e me permitido fazer a segunda chamada. Upsss, um dos obstáculos ultrapassados e na qual agradeço e muito sua compreensão.



Mas, chegado o dia do embarque para o Rio (sexta-feira – 05/07/2013) quem diria que pela primeira vez eu seria tachada de atrasada??? Quem bem me conhece sabe que não sou de me atrasar. Chego muito tempo antes, mas não me atraso. Pois bem!! A funcionária da empresa na qual eu viajaria se recusou a fazer meu check in alegando que eu não estava dentro do horário, mesmo sem ter nada a despachar e estar com 30 minutos de antecedência para o voo, o que é solicitado pela ANAC. Nem ao menos tentou. Chateações a parte, tive de arcar com um prejuízo que não contava e sabia que não estava errada. Sendo assim dei entrada com queixa.

Se era para eu estar na cidade maravilhosa às 8:45, onde já me esperavam no aeroporto, não foi bem o que ocorreu. Chorei, minha urticária não resistiu. Mas com a remarcação paga, às 14:10 eu desembarcava na cidade maravilhosa. 

Por sorte ou ironia do destino reencontrei, no mesmo voo, uma corredora da Assessoria Triação - Carol Guedes; Que por sinal havia voado comigo no retorno da Volta da Pampulha. Sorte ou destino, pude dividir o mesmo táxi e acompanhar a mesma e a amiga Andreia, até a entrega do kit. O taxista que nos levou era finíssimo, não só nos aguardou na entrega do kit, como levou cada uma de nós em seus locais de estadia. Por sinal no qual contratei no retorno também. Ufffaaa menos uma das dificuldades superadas.

Ericka, eu, Carol Guedes e Andreia ( estas da Triação)


Do outro lado da linha, o Ênio, a Ezilda, Maia e Waldeci (amigos BALEIAS) já me “chamavam” para dá o ar da graça em Copacabana. Nossa esta eu não pude dá conta, e infelizmente perdi a tarde. Eu estava faminta e só precisava chegar ao Hostel que nos hospedariam por estes dias. Era preciso comer para ai sim poder voltar a ser alguém!!!! Já era quase 17h, eu só havia tomado café as 5:00 da manhã e sobrevivia desde aquele horário apenas com barrinhas de cereais, já que o tempo que tive no aeroporto foi para prestar a queixa no Procon, Anac etc e tal, por não terem feito o check in.

Resolvido o problema do almoço, ai sim me direcionei ao Boteco Belmonte, no Aterro do Flamengo, onde lá já se encontravam o Tinil, Gilberto e mais alguns dos BALEIAS. O BALEIAL estava por ancorar sua alegria no Rio de Janeiro!!!!! Que neste caso seguiria até segunda-feira. Havia combinado com o Ênio, a Ezilda, Maia e o Waldeci que para lá também seguiam. E por aí, enviei mensagem para Aparecida para comunicar que o "barraco" já tava armado, Esta também foi ao nosso encontro com o BALEIA Diogenes e outros amigos.


Encontro BALEIAS já sabem né???? Prepara que a festa vai começar!!!! Desta vez não foi diferente. O esquente começava por ali!!!Mas não terminava no Boteco Belmonte.

Tomamos um táxi e fomos cair no forró da Feira de São Cristovão. Ahhh diga “se de passagem” a noite foi muito divertida, ainda mais para mim que perdi o São João (estudando para uma prova).

Eu me diverti muito, nem parecia que aquela noite fazia parte do dia chato que eu havia tido. Nossa me senti representada por aquela feira nordestina. Comemos tapioca, doces, pé de moleque.Pela primeira vez vi Ezilda comendo doce, imagine!! rs!! Fomos embora lá para às 2:30 da manhã. Voltei mega cansadinha não só pelo dia, mas de tanto dançar forró. BOM DEMAIS!!!! Adoro um forró!! todo mundo sabe disso. Eu me acabo.... Cansada, mas feliz.


Imagens por Enio (menos a que ele está)

Como costumo dizer, minhas fotos com Baleias são sempre com olheiras, mas são umas olheiras bem aproveitadas, cara de cansaço que é reflexo dos momentos de alegria que eu não perco ao lado deles. Estar com eles é sempre maravilhoso!!! A gente é demais!!

Fomos dormir lá para as 3:30, já que ainda no hostel, eu e minha turma de quarto ficamos papeando. Desta vez eu compartilhava o quarto junto com o José Maia, Ezilda, Ênio e Waldeci. No entanto no dia seguinte uma visita nova estava por vir, já que sobrara uma cama no quarto. Hóspede bem esquisito, mas bem-humorado. Tadinho teve de nos aturar acordando às 3:50 na madrugada do dia da corrida. Nosso quarto foi uma diversão, “os meninos” como sempre muito atenciosos.

Agradeço aos meus parceiros de quarto pela gentileza dispendida todos estes dias.

Já no no sábado (véspera da Maratona) - pudemos acordar um pouco mais tarde, as 9h já que estávamos a espera do nosso CEO Miguel e toda trupe Belo-horizontina ( Pedro, Elaine, Zilda, Wu, Tâmara)... o encontro na entrega de kits prometia. Lá além de reencontrar o BALEIAL, a Sheyla e demais ainda “de quebra” encontrei outros amigos de Salvador – assessorias (Hammer, Peformance, Família Botelho, Triação, Marathon dentre outros amigos). Muito legal mesmo!!!

Da esquerda para direita - Miguel (CEO BALEIAS), Elaine, Zilda, eu, Wu, Sheyla, Pedro (atrás), Waldeci, Enio, Tamara, Teresa, e embaixo Maia e Ezilda

Da entrega de kit seguimos para um almoço no Boteco Belmonte da Urca, para em seguida fazermos mais uma vez aquele passeio lindo do Morro da Urca ou melhor Pão de Açúcar. Era a primeira vez da Tamara, sendo assim fomos a prestigiar, não que fosse algo difícil hem!!!

Enio (nosso mega fotografo) e a mulherada BALEIA

Coisa linda lá de cima!!! nos renderam muitas belas fotos – eu já não gosto hemm!!!Amoo fotos!


A noite o nosso famoso jantar, de massas, BALEIAS. Infelizmente a Elaine não estava legal (alguma virose) sendo assim o grupo ficou desfocado sem a mesma, sem nosso CEO Miguel, que só chegou no fim, e sem o Pedro (que neste caso estaríamos bebemorando sua passagem no vestibular em medicina).Chatinho a ausência deles, mas outros momentos bons virão. Com certeza farei de tudo para estar na Pampulha. Até se preciso for, trarei Pampulha a Salvador...rs!! Como não sei..... mas farei.


Curtimos um pouco menos a noite de sábado, já que no dia seguinte teríamos de acordar cedo. Voltamos ao hostel e após deixarmos nossos pertences prontos para a corrida, dormimos. Acredito que já era quase meia noite.

Meu amor me ligou é claro para desejar uma boa corrida, já que eu me perco na gandaia com os BALEIAS e “esqueço” de ligar para o mesmo, ou o sinal da TIM não funciona no Rio. Enfim...... dia seguinte......

quarta-feira, julho 10, 2013

Lançamento da Adidas - Springblade

 LINDÃO!!!!!!!!!!!

Gente olha o que venho trazendo hoje ao blog para que conheçam. Mais uma  inovação da Adidas!!! Adoro!!! Desde que conheci o Boost tô amando tênis Adidas, sem falar as "roupitchas" lindas. 

Vejam só, este tênis que chegará já, já e que não vejo a hora de também poder testar. Por que tenho interesse?? Simplesmente por que o Springblade é o primeiro tênis de corrida com amortecimento em forma de lâminas.  Nunca havia pensado nisso, mas  pense aí. Um tênis com amortecimento de lâminas com certeza promete impulsionar e ajudar em nossa corrida. 


Detalhe das lâminas (tênis feminino)

Ao contrário das estruturas comuns de EVA, que retornam energia de forma vertical, o Springblade tem 16 lâminas altamente elásticas compostas por polímero de alta tecnologia, precisamente anguladas para reagirem a qualquer superfície. Ao pressionar o solo, o calçado retorna energia lâmina a lâmina, impulsionando o corredor e criando uma sensação de retorno explosivo de energia.

A posição, a geometria e a espessura de cada lâmina foram precisamente desenhadas de acordo com a passada do corredor para dar suporte e permitir todos os movimentos durante a corrida. Além disso, os materiais da parte superior do calçado, que usam a tecnologia Techfit, foram criados para envolver os pés dos corredores, garantindo maior proteção e aproveitando a energia recebida das lâminas.   

"O calçado é uma verdadeira obra de arte do ponto de vista de biomecânica e da engenharia. É completamente diferente de qualquer outro calçado do mercado de corrida”, diz Caio Amato, gerente de running da adidas do Brasil.  “A adidas sempre teve a inovação em sua essência. E é sempre em busca de estender as barreiras do mercado esportivo que continuaremos a surpreendê-lo com inovações que desafiam até mesmo o imaginário do corredor” 

O tênis é LINDO!!!!!

Mas vamos ao que nos interessa moçada??.... O Springblade começa a chegar nas lojas Adidas, no e-commerce da marca e nos principais pontos de venda do Brasil a partir do dia 1º de agosto, com preço sugerido de R$ 999.90. Então comecemos a contar os dias!!!


Mais sobre a Adidas
Há mais de 80 anos, a adidas faz parte da história dos esportes. A empresa alemã, fundada por Adi Dassler, oferece um portfólio diversificado de produtos de vestuário, calçados e acessórios para a prática de 27 dos 28 esportes olímpicos, como corrida, futebol, tênis e basquete. A adidas possui duas linhas principais: Sport Performance (tecnologias de ponta), com foco em esportes e nas necessidades dos atletas de diversas categorias, e Style, foco em moda, com produtos para o uso mais informal.
 Para mais informações, visite adidas.com/runningfacebook.com/adidasrunning e acompanhe a conversa no #Springblade e no www.twitter.com/adidas.