segunda-feira, abril 29, 2013

Afasta-te desta inveja sedentária e vem com a gente ser feliz!!!....

ATENÇÃO: Leia antes de tirar conclusões precipitadas.


Um sentimento não muito agradável, mas que aparenta (até mesmo) no esporte nos rondar. O que dizer deste sentimento INVEJA!! Não curto muito falar destes sentimentos negativos por onde passo, talvez por que não os tenha percebido no meu cotidiano de corredora amadora. Ops, será?? E quando não...

Diante de uma postagem da Fernandinha (FFF) hoje pela manhã no nosso querido facebook,  após ter completado sua primeira façanha numa ultramaratona, fui levada a refletir um pouco sobre este sentimento INVEJA. Nesta nossa vivência pedestriana. Coisa que não combina.

A postagem foi a seguinte: "E quando a pessoa pergunta se você DESISTIU em vez de perguntar se CONSEGUIU.... (dá um pau nela?hahahahahah...eu hein...parece que não me conhece! Só sairia para preservar a saúde, por cansaço, sol, desespero... NUNCA,NUNCA,NUNCA...)" .



Chorona, acima a Fernanda (de lilás) após concluir a  sua primeira ultramaratona,  ao lado da Lucina Ratinho que já é figurinha das ultras. A FFF perfez, nada mais e nada menos que 72,5km. E você que fez esta pergunta. O que fez no fim de semana?? Aposto que passou ele todinho com o traseiro afundando o sofá e completo comendo e assistindo filme que eu sei!!!

Até que ponto, este "ofuscado" sentimento costuma dá as caras nas pistas de atletismo?? 

Opa, opa creio eu que não necessariamente este incrédulo dê o pulo de gato nas nossas pistas, e sim no nosso cotidiano enquanto corredores. Ele costuma surgir de pessoas que simplesmente não entendem a PAIXÃO que nos move dentro do atletismo amador. 

A INVEJA ou talvez o melhor termo seria INCOMPREENSÃO, se dá ao fato de desconhecer o que a corrida a sensação que a corrida nos proporciona. Eu sei, sei disso!!!

Por que o que presencio outro sentimento nas pistas. Seja em corridas de 10k, 21k etc e tal que costuma dá as caras é a SOLIDARIEDADE. Esta sem igual vem sempre trajada de corredor. E não muito diferente esta é a sensação que motiva os próprios corredores de curtas distâncias bem como ultramaratonistas nos eventos (segundo nos informam). Eu mesma já fui apoiada por muitos deles, em provas que foram inesquecíveis para mim.

Apoiada pela Sueli em minha primeira meia maratona.
 E aqui pelo Jorge Ultramaratonista ainda em minha primeira meia.



Por que então esta solidariedade e este sentimento de compreensão não chegam aos nossos familiares, aos nossos amigos, namorados, maridos....?? por que eles não compreendem e às vezes destroem ou nos chama de egoístas pelo simples desejo de AMAR a corrida? Por que nos chamam de loucos quando queremos correr maratonas, ultramaratonas e das nossas maluquices de correr 24h seguidas (opa, ainda não cheguei a este ponto).

Como já sabemos a resposta é fácil.... Pelo simples fato de NUNCA terem se dado o gostinho de experimentar esta satisfação que a corrida nos proporciona. Mas diferente, jogam nos um balde de água fria acompanhada da pergunta de sempre: "De novo você vai correr??" Poxa...!!!

Um frase que jamais esqueço, foi quando um vizinho ao me ver toda feliz (chegando em casa) com um troféu de 1 lugar, no pódio da minha categoria, me perguntou se eu estava correndo com tartarugas. Que sou pangaré isso eu assumo, nunca visei performance e todos sabem, mas daí a fazer uma pergunta destas?? Tenha me santa paciência!!! Só não mandei ir tomar lá no funil por que sou muito educada.

Outra que adora fazer gracinhas é minha mãe.... meus familiares, que infelizmente até hoje não compreendem o que a corrida me provoca. Meu namorado, graças a Deus sabe e compreende bem...Mas diferente também não foi picado pelo mosquitinho da corrida. Não sente o mesmo prazer que a gente.

Mas hoje, plena segunda feira eu REQUISITO os INVEJOSOS, ou melhor dizendo os  INCOMPREENSIVOS a dá uma corridinha na orla comigo. E a você que esta em outra cidade, se dê este prestígio de correr pelo menos 10 minutinhos. Perceba que não é muito.



Quem sabe não são estes 10' que você vai se sentir na lua... Te digo a corrida pode mudar sua vida (ixi este finalzinho ficou parecendo coisa de igreja, mas é quase isso).
Eu AMO correr!!!

13 comentários:

Jú Ferreira disse...

Infelizmente temos que aprender a lidar com pessoas assim e ignorar esses comentários. Bjs

Fernanda Ferraresi disse...

Essa menina é demais!Baianinha arretada,baixinha invocada que me encantou demaaaais em tanto pouco tempo!
Isso aê Dart,eu sou otimista por natureza e prefiro pensar que somos incompreendidos,o que é fácil demais...hahahah.Como alguém mega normal imagina outra pessoa correr 12 horas seguidas em baixo de um sol absurdo em uma pista de 400metros!Coisa de maluco...Fui e fiz,antes de mais nada querida linda...fiz pra FFF...essa boboca chorona!Todos podemos...basta acreditar,treinar e perseverar!(Ah,nem me apresenta esse seu vizinho...vixi...rodo a baiana que existe em mim hein...hahah) beijo enorme linda

Jorge disse...

Dart muito legal a matéria com a FFF e vc, realmente só quem corre entende essa paixão da endorfina correndo em nós...Algumas não entendem e outras sentem inveja, mas vamos fazendo o nosso papel...Fiquei muito feliz em a FFF ter corrido a sua primeira de muitas ultras que virão, agora não tem jeito Dart, pois agora só falta vc a correr Ultras conosco desde já esteja convidada...Parabéns FFF.

Bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

Edileia Diniz disse...

Não te conheço pessoalmente ainda, mas conheço seus sentimentos pois compartilho deles. Essa incompreensão dentro do lar eu vivo na pele, não com meu marido, graças a Deus, mas com outras pessoas as quais eu dependo para ir treinar pois ficam com minhas filhas. Olha amiga, não é fácil, são compreensivos sim, mas até um ponto. Vai sair na chuva ou no sol de rachar pra vc ver se a crítica não vem. E como fico eu sem essa endorfina maravilhosa e viciante? Só me resta orar e esperar que um dia possa compartilhar dessa alegria.
Um beijo enorme e lindo texto!

JOSÉ AMÂNCIO NETO - CORREDOR DA 3ª IDADE disse...

É isto aí Dart! Muitas pessoas sentem Inveja mesmo. O que me conforta, é que é uma minoria. Para nós corredores, assumidamente apaixonados, pouca importa. Amamos correr e pronto. Um abraço.

Cassia Santana disse...

Amei o Post. Tudo haver com meu momento. O meu pai e minha mãe não entendem o amor a corrida e porque corro.
Até o término com um paquera foi por conta de não aceitar os meus treinos e provas no fim de semana e não abrir mão deles. Entre a corrida e paquera...fico com a corrida.
A semana passada eu ouvi milhões de críticas de pessoas ao contar que mesmo com o tempo ruim fui treinar.
Enfim só quem corre sabe o quanto é prazeroso e entende essa paixão.
Bjs.
Cássia (http://www.cassinhags.blogspot.com.br/)

alessandro guimaraes disse...

Depois que comecei a correr, escada pra mim virou sinonimo de treino, antes era "castigo" , cada km rodado é um dia a mais de vida , fiz as melhores amizades hoje correndo , e tive as maiores mágoas com quem esta parado....

Helena Clebsch Vidal disse...

Dart Querida, fui lendo cada parágrafo e me identificando com texto. Acho que todo corredor escuta uma piadinha ou é subestimado/incompreendido por alguém. Pra mim, o que chateia é quando envolve família ou alguém que está dentro do mundo corrida. Mas, aprendi já que não dá para mudar este pré-conceito das pessoas tiro de letra com sorrisinho.
Beijos e bons km's pra ti!!
Helena
correndodebemcomavida.blogspot.com
@Correndodebem

Daniel X. disse...

Gostei dessa matéria! Uma das suas melhores!

Não tenho muito esse tipo de problema. Em casa sou apoiado, a família admira e apoia, e alguns até já entraram na onda. Qdo meu primo participou da sua primeira corrida comigo, ele disse que se sentiu realizado e me pediu para avisá-lo qdo houvesse outra.

Já no trabalho, muitas vezes me deparei com amigos fazendo esse tipo de pergunta DESESTIMULANTE.

Qdo tive aquela embolia e fiquei internado, teve colega de trabalho que foi me visitar e disse: "tá vendo? se estivesse fumando e bebendo como eu, não estaria nessa"...Nesse caso sei que foi por inveja e para me desencorajar, uma vez que são pessoas esclarecidas e que ainda trabalham na área da saúde.

Mas por mim tanto faz. Se tiver apoio ou não, faço o que gosto. Não dependo de aprovações e opiniões alheias.

Te vejo no Rio, se deus quiser (ou não)...

Fábio Namiuti disse...

Só posso agradecer a todos os piadistas de plantão, que tanto me ajudaram. Se não fosse o cara que me disse para ir rolando, que chegava mais rápido; ou o outro que afirmou que eu era a prova que esse negócio de correr não emagrece coisa nenhuma (caras criativos!), provavelmente eu não teria chegado onde cheguei. Se hoje eu tenho 253 corridas, nove maratonas e uma ultra, devo também a todos os que não acreditaram em mim. Mostrar que eles estão errados, não que eu faça questão, mas é meio que uma sina. Seguirei fazendo isso sempre.

Runner Hostil disse...

Acho que as vezes não é inveja, é mal gosto mesmo. Também estou cansado por parecer errado por estar fazendo certo enquanto quem come salgadinho com cheiro de vômito parece o comum e por consequência o sano. Aff!

Ruy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Não te conheço, mas poso dizer a você que, dada as circunstancias, apesar de opostos, temos algo em comum. Eu sou o cara que jamais vai gostar de correr, alias, nunca vou gostar/praticar nenhum esporte. Correr? Nem morto!! E por isto sou muito mais pixado que você.
Algumas pessoas tentaram inutilmente me mudar, depois se frustram e, embora se digam minhas amigas quase me ofendem com comentários e “dicas” tão imbecis como as que você ouviu, só que no sentido oposto, claro. Até minha ex-esposa e as minhas atuais namoradas entram neste hall. Portanto só posso lhe dizer: continue fazendo o que lhe dá prazer, se há outros que se ofendem ou não concordam contigo, que se danem. Se corre lhe faz feliz, corra. Lhe desejo felicidades.E por favor , não julgue todos os sedentários da mesma forma, assistir um bom filme num sofá confortável por uma tarde inteira me dá mais prazer que perder 1 minuto de minha vida corendo. Cada macaco no seu galho, sem estereótipos.
Luizão