quinta-feira, dezembro 13, 2012

XIV Volta da Pampulha + Festão de 10 ANOS de BALEIAS

Por Majo

Quando comecei minhas caminhadas pela orla de Salvador, depois alternando para a corrida, eu jamais cogitava que seria tão FELIZ correndo. No entanto a corrida foi modificando minha VIDA de uma forma, que hoje eu já não consigo me imaginar sem ela. Ela não só mudou meu estilo de vida, como me fez conhecer pessoas maravilhosas, que eu confesso que quero sempre fazer parte da vida delas e quero que elas façam parte da minha. Estas pessoas são os grandes amigos BALEIAS. Pessoas que antes eu só conhecia pela internet através de blogues, outros pelo facebook (sim pelo facebook); Mas que quando os encontro parece que já somos amigos há anos. São amigos, são irmãos... é minha grande FAMÍLIA oriundos das mais diversas regiões.


Paraná, Minas Gerais, Sergipe e Bahia

Eu sempre comento que as pessoas jamais terão noção do que é ser BALEIAS. Somente quem vive e quem é BALEIAS sente a dimensão do SER Baleias. A noção de união deste grupo, e de integração entre todos. Viver e ser BALEIAS vai além da simples corrida. Por que diferente, além da corrida fazer parte da nossa vida, sabemos aproveitar cada momento juntos, antes e pós corrida. Correr também é importante, mas a corrida ao lado dos BALEIAS.... passa muito rápido. Acredito que é por isso que grande parte do grupo já seja ultramaratonista.

Tudo bem! Declarado o meu amor pelos BALEIAS, que por muitas e muitas postagens vocês irão ler aqui, vamos ao fim de semana e a XIV Volta da Pampulha. 

Na verdade esta não era uma corrida que estava em meus planos.... ela passou a fazer parte do meu calendário há umas três semanas atrás por conta de um presente maravilhoso que ganhei. FOI sim. Agraciada por um presente destes a corrida Pampulha passou a fazer parte dos meus planos e sendo assim na quinta feira eu já estava embarcando para Belo Horizonte. Nem preciso dizer o quanto eu AMO correr em Belo Horizonte por que muitos já leram isso aqui e sabem. Seja Belo Horizonte, Rio de Janeiro, todo mundo sabe que gosto de correr nestas cidades. Mas Belo Horizonte tem seu diferencial, além de ser sede BALEIAS.

Viagem sozinha ( sem meu amor), desembarquei no dia 06 de dezembro às 18:17. Sem grandes problemas ( tô ficando craque nisso), por que afinal já me sinto em casa. Peguei o ônibus conexão Unir e desci na Álvares Cabral na qual já estava certo da Dani e o Ismael me pegarem. E quem disse que ficaríamos em casa?? Por sinal muito bem alocada, muito bem recepcionada na casa deles, na qual agradeço bastante a hospitalidade.  

Obrigada Dani e Ismael. 

Mesmo sendo quinta-feira só troquei de roupa e já saímos para a Cantina do Lucas com alguns Baleias que já se encontravam em Belo Horizonte. A farra já começou neste dia....

Sempre muito bem acompanhada. Pela foto percebe-se que viramos o dia....rsss
Eu, Wu, Fabrício, Miguel, Ismael e Dani

Jantar mineiro muito gostoso na Cantina do Lucas, voltamos para casa um tanto tarde. Mas eu estava amando. Tem como não amar??  Chegamos em casa quase que 3 da manhã. Isso por que o Ismael, com toda boa vontade, parou na Praça da Liberdade para me mostrar o quanto estava linda esta, com enfeites de Natal. Tiramos algumas fotos e seguimos para casa. 

Eu e Dani

Dia seguinte, como era sexta-feira não quis atrapalhar ninguém, eles saíram para trabalhar pela manhã e eu fui passear pela cidade. Já estou craque nisso também e caminho bem por BH. Mais a tardinha fomos buscar nossos kits da corrida. Afinal seguindo a dica da Yescom, para quem era de BH, por que não pegar o kit mais cedo? Evitando tumultos no dia seguinte.

Por lá encontrei  o pessoal da Contra Relógio (eleita melhor revista de corridas do Brasil) e finalmente o fotográfo Tião.
Eu e o Tião

Sexta-feira a noite mais uma vez um jantarzinho Baleias com mais uma parte da galera BALEIAS que já se encontrava na cidade e que chegou neste dia. Neste dia no restaurante Boi na Chapa.



Não satisfeitos, pós  fechamento do Boi na Chapa que não suportou o pique dos Baleias fomos a procura de outro barzinho. Chegamos em casa ainda mais tarde que no dia anterior.... E eu amando, afinal o bom mesmo é aproveitar cada momento ao lado de todos. Deixa para dormir em casa. SER BALEIAS é saber se divertir mesmo as vésperas das corridas. Claro sem bebidas alcoólicas no dia anterior a corrida. Como não bebo álcool não tenho problemas. 

Então, eis que chega o grande dia. O sábado, o  dia do jantar BALEIAS completíssimo com toda a turma que iria correr. As vésperas da corrida fechamos o restaurante Las Lenas e claro o BANDO BALEIAS estava lá... Senti falta de alguns que eu queria muito que tivessem ido a exemplo a Elis, o Dundes, a Marines e a Marayse que eu esperava conhecer na Pampulha, já que no Rio não conseguimos nos encontrar. Mas infelizmente nem sempre dá para todos irem e sei que teremos muitas oportunidades.

Pude conhecer muitos Baleias que ainda não conhecia. O que me deixou ainda mais feliz. 




Neste dia não prolongamos muito e fomos embora cedo para casa. Pena que eu não estava tão bem. Senti dor de cabeça e não conseguia dormir, tive insônia. Segundo Dani esta insônia era ansiedade pela foto BALEIAS do dia seguinte. 

No domingo acordei com a cara inchada de sono e com o corpo meio esquisito. Aliás  não acordei. Me acordaram... bem atrasada com relação ao horário combinado. Mas como me arrumo rápido foi tranquilo. Acho que dormir só 3h ou 4h... e até fiquei preocupada se concluiria o percurso bem, pois estava com os nervos em alerta. Sabe quando você não dorme e seu corpo fica esquisito? Mas eu estava bem acompanhada e o bando me levava!!!.... nem dei bola a inquietação do corpo e fui me embora.

Chegamos cedo no Mineirão, afinal a foto do blog estava marcada para as 7:15 e todos pontualmente estavam por lá.

Antes mesmo da corrida pude encontrar algumas pessoas de Salvador, tirar algumas fotinhas e ao longo da corrida pessoas que só conhecia por blogues e face - exemplos o Paulo Roberto e a Cheng, sem contar alguns amigos da Mediarun.


Mais fotos, agora com BALEIAS

Larguei a corrida com 13 minutos depois da largada, quase que igual ao Rio de Janeiro. Larguei bem no final, mas não estava nem um pouco preocupada. Havia gente pra caramba e mesmo lá no fundão era cheio demais. A todo momento você ultrapassava alguém o que me deu um gás a mais. Ter a sensação de passar de alguém era sempre bom.  Adoro correr assim, por que você sempre esta com pessoas do seu lado, o que acaba dando um pique a mais. No entanto por outro lado também dificulta ultrapassagens.

Eu não estava nem aí... fui para me divertir e não tinha feito treinos específicos, por não saber que iria. Mas gostei muito do meu resultado. Larguei junto com os Baleias. Por alguns quilômetros corri junto com o Pedro, no entanto mais adiante fui soltando as pernas e me distanciei, tentando acompanhar o Maia. Ainda fiz uma paradinha (pit stop) e retornei a corrida. Fora o isotônico que também me atrasou por ter de esperar o copinho.

Comparado ao clima de Salvador, eu gostei muito da temperatura da corrida em Belo Horizonte. Nem senti calor, mas parei em todas as mangueiras dos moradores, que agitavam a corrida, para me molhar. Achei que a Yescom pecou na primeira hidratação. Infelizmente a primeira hidratação demorou a chegar. Só consegui pegar a primeira água no 5km onde havia um posto de hidratação. Mais adiante encontramos posto com facilidade no entanto com água quente. Não me incomodo com a água natural por que acho que é melhor, no caso para nos molharmos. 



Senti falta no meio do percurso daquela animação encontrada na maratona do Rio, acho que estou ficando mal acostumada.  Haviam poucos moradores vibrando, não sei se foi por que eu estava no final e eles haviam cansado, aliás até aí já havia ultrapassado muitos. Mas senti falta da música. Só encontrei uns 5 rapazes fazendo um sambinha. Acho que a organizadora poderia investir neste sentido ou até mesmo  os patrocinadores.

Como a animação vem de dentro da gente,  isso não afetou tanto e quanto mais próximo íamos chegando do pórtico aumentava a multidão. Encontrei alguns amigos e fotógrafos que gritavam meu nome e me deram aquele incentivo a mais. Incentivo este que me fez chegar com 1h58min, mesmo parando, mas do qual em meu garmim foi registrado 19km. 


Fiquei em 58 lugar de 244 meninas da minha faixa etária. E do geral de 2004 fiquei em 469.

Clique na imagem para visualizar maior.

Gosto muito de correr na Pampulha. Mas aquela subidinha no final com certeza me quebrou. Tive de subir caminhando um pedaço. Mas e daí??? conclui com SORRISÃO nos lábios.

Pós corrida foi momento de comemorar 10 ANOS de BALEIAS, não que já não estivéssemos comemorando na pista e nos dias anteriores.  Aliás comemoramos a todo tempo. Mas foi momento de nos reunirmos na casa de campo do Rogério (Baleias) e curtir o nosso churrasco especial. Com direito a uma torta linda BALEIAS com recheio laranja.

Quem fez muito sucesso foi o bolo


 Foi uma tarde maravilhosa, que se prolongou a noite. Alguns foram saindo mais cedo... no entanto eu fiquei até o finalzinho, aproveitei cada momento... E sai com o lixo....rsss!! Retornei e fui entregue em casa com o taxista Baleias. Foi maravilhoso!!!!

Não posso dizer que não tive um final de semana gostoso. Foi perfeito. Aproveitando a brecha que Miguel disse que se sente imperador ao nosso lado, eu posso dizer que tive um fim de semana de princesa.... aliás bem melhor que fim de semana de princesa. As princesas não se divertem, e eu diferente me diverti demais. Estar com os BALEIAS é o mesmo que me sentir em casa, estar em família. Me sinto em família. Tenho sangue coralino. Os BALEIAS se tornaram minha família. São amigos que conquistei, que me conquistaram e que jamais quero perdê-los de vista.

Esta turma me conquistou e cada prova junto com ela tenho ainda mais certeza que estou no grupo certo.
"Aqueles que não gostam de muita mania ou se gostam não as têm como bandeira, sabem o valor de um desafio, sorriem com facilidade, prezam uma amizade como um tesouro, gostam muito de correr e têm orgulho do Manto Coral..."

7 comentários:

Luiz Souza disse...

Olá Dart.
Que belo relato. É interessante ver como você recordou tantos momentos de diversos dias e conseguiu reunir tudo sem ficar cansativo.
Quanto à prova, não era das minhas favoritas ou desejadas, mas de tanto ler a galera comentando, começou a dar uma coceirinha de participar dela.
Abraços!

Fábio Namiuti disse...

Festa, e das boas, hein, Dart? Parabéns a você e a todo o pessoal Baleias presente. Diversão é fundamental. Sem ela, todo o resto faz muito pouco sentido. Boas corridas!

CORRIDA SEM LIMITES disse...

Parabéns Dart!!!
Que linda equipe,nossa como tu conseguiu fazer tanta coisa em poucos dias.
bjs

BALEIAS disse...

Olá Dart. Eu não tinha reparado que foram tantos encontros. A satisfação por ter os amigos de todo o Brasil conosco em Belo Horizonte é tão grande que a gente nem nota que passou tanto tempo na rua. Mais uma vez deu tudo certo e a festa foi boa. Vamos continuar celebrando em 2013, aproveitando enquanto a vida nos permite essas alegrias. Valeu por tudo. Grande abraço. Miguel Delgado.

Matheus Tonello disse...

PArabéns pelo texto.

Muito por não ter ido à Pampulha, textos assim me fazem viver cada momento como se estivesse presente.

Parabéns pela viagem, pela integração e principalmente pela corrida, uma Pampulha abaixo de 2h é de respeito.

Toledo disse...

Muito legal seu relato Amiga Dart, foi realmene um encontro maravilhoso e alegria reinou nestes dias.
Abração...
Toledo

Daniel X. disse...

Muito bom! Aproveitou a corrida e ainda comeu bolo. Só achei ruim porq não tivemos tempo p conversar.

Não gostei da prova, e Vc já sabe toda minha opinião. Principalmente sobre a fila indiana de gatorade.