segunda-feira, outubro 15, 2012

Meia Maratona Farol a Farol - delícia de calor!!!!.... Meta cumprida

Muito calor na Meia Maratona Farol a Farol - 
eu quase chegando / na altura do Cristo na Barra

Sempre tive dúvidas e muito receio de correr uma meia maratona em Salvador. Como muitos sabem, odeio calor e não tenho tanta resistência na corrida exposta ao SOL. Ok!ok! certo. Aí sempre vem um que grita: "ah Dart mas corredor que é corredor, é resistente a qualquer clima". Pois eh, Eu não!!! Cai muito meu rendimento e me incomoda.

Bem, mas pensando bem, depois de muito "correr" das meias daqui. Duas coisas me deram entusiasmo em participar desta. Primeiro o Lucas Monteiro, amigo nosso, ter aceitado estrear em meias maratonas e segundo por conta do Enio - Baleias de SP ter aceitado vir correr aqui também. Com duas boas notícias seria muito chato eu não participar. Inscrevi-me sem nem pensar e fui fundo no desejo. Em seguida ainda vieram mais notícias boas. Seria a estreia de Sandra como Baleias e nos 10km, e  Aparecida - Baleias de Aracaju também viria.


Ahhh  aí pensei de vez,  poupe-me viu Dart. Vai e faz uma corrida "a la BALEIAS".

 E foi o que fiz....

Fui dormir tardão por conta da saída de ontem (sábado), isso umas 23h. Às 4:50 já estava de pé disposta. 6:10h - Lucas Monteiro passou e saímos em direção a Itapuã, de onde seria a largada. 

Acredito que chegamos lá por volta de umas 6:35... Corri em busca de um guarda volume e fui a procura do Enio e da Aparecida. Claro que foi muito fácil encontrá-los.

Eu, Lucas - amigo que estreou em meias, Enio e Aparecida

Encontramos uma amiga da  ACORJA

O Lucas, meu namorado, havia decidido não correr a meia. Não estava a fim e nem treinando. Tive de entre aspas aceitar a vontade dele. 

Logo que cheguei em Itapuã encontrei poucos conhecidos e como estava sem máquina, na hora não deu para tirar foto todos. A largada foi dada com 6 minutos de atraso. 

Como a semana havia sido quase que completamente nublada e chuvosa, todos nós esperávamos que o tempo se mantivesse. Mas neste dia São Pedro decidiu nos pregar uma verdadeira peça.

Eu, Enio e Aparecida largamos a corrida juntos. Aparecida depois acelerou o passo e ficando apenas eu e Enio.

 Eu e a Aparecida
Eu e Enio

Começamos a corrida com clima ainda tranquilo, talvez por volta de uns28ºC. Mas este  foi subindo e deve ter chegado a bater uns 31ºCMeu intuito era repetir a dose do Rio de Janeiro, que completei a prova em 2h05. Ahhh mas com a temperatura que fez...dava não. Ela foi subindoooo e subindo e os postos de hidratação me atrapalharam muito.

A gente vinha num ritmo legal e dava para chegar no tempo previsto se mantivesse. No entanto os postos de isotônico pelo menos a mim atrapalharam demais. Colocaram uma barraca, e todas as vezes que eu chegava tinha engarrafamento de gente. Só tinha dois postos de isotônico. Daí dado o calor, eu não quis evitar de pegar. Até mesmo o uso do gel, ao invés de ter sido dois como de costume, usei o de reserva. Nos postos de isotônico sempre o meu ritmo caia em pelo menos 2seg. Mas firme e forte continuei. 


Corremos lado a lado com alguns integrantes do Pro Maratona que por sinal nos deram muito apoio . ( Na foto acima, Roberto ao meu lado. Ele é o mentor do projeto que visa pedir que organizadores tragam a Salvador uma maratona).

Corremos também ao lado de outros amigos que íamos encontrando pelo percurso. 


Enio incessantemente sempre registrando tudo. Ah japonês para tirar fotos legais.

E lá se foi Patamares, Boca do Rio. Neste ponto acima estávamos quase que na metade da prova.

E foi justamente a partir da metade da prova que a coisa foi ficando difícil e muitos começaram a desistir. 

Ao nosso lado, na orla sempre ia passando alguns amigos. Vários que nos gritavam e falavam alguma palavra de incentivo. Maria do Carmo, de bike, que encontrei em dois pontos; os Amigos de bike ( Zanine, Lúcia, Lourdes...) que também encontrei no jd. de Alah, bem numa subidinha  leve da corrida;

o Alexandre Huang da Marathon Club que nos encontrou em uma parte critica da corrida, justamente na parte da Pituba em que algumas pessoas começaram a desistir e que por sinal dei apoio para que desistisse. Eu sou o tipo de pessoa que se vejo que a pessoa vem mal, incentivo mesmo para que pare. Enquanto outros ficam mandando a pessoa (que já esta amarela, continuar. Eu incentivo para que reconheça o corpo e decida). 

Neste ponto após a Portinox vi alguns desistirem. Mas não penso que são fracos. Muito pelo contrário. Ao encontrar o Alexandre, o incentivo do mesmo veio por meio de um copo d'água. Nossa!!! um copozinho de 200ml que naquela hora valia ouro. E de fato valeu muito. Obrigada!


Passados os bairros da  Pituba, Amaralina (onde havia um posto de isotônico difícil também de pegar) eis que vem outra parte difícil da corrida... Já estávamos depois do km15. 

Nesta hora a canela queimava e apesar da prova ter tido uma hidratação muito bem equilibrada, a cada 2km de prova, ainda assim um copo ou dois não eram suficientes para manter a temperatura do corpo agradável. Se eu pudesse estava ali correndo com uma mangueira aberta.

Na foto acima, no ponto do Rio Vermelho surgiu um outro anjo que peço desculpas por não saber o nome. Naquela hora nem dava mais para perceber quem era quem...risos! Mas sei que era um rapaz da assessoria Pace Sport. Ele se aproximou de mim com um copo de água, me deu e não lembro o que disse, mas acho que desejou boa sorte. Nem acreditei. Agradeci, e ia pensando comigo mesma o quanto  ter a presença daquelas pessoas ao nosso lado nos faziam querer chegar ao pórtico o mais rápido. Pensava, este é o espírito de se correr em grupo. E digo isso não por que estava correndo em grupo, mas por que as assessorias de Salvador agiram numa sintonia sem tamanho. 
A cada parte do percurso eu percebia um tenda, ou alguma movimentação de assessoria e todos trabalhando numa dedicação sem igual. Quero parabenizar  a todas as assessorias de Salvador pela dedicação. Parabéns também a Sport Run, obrigada pelo incentivo dado pelo Dielmo. 

A corrida estava difícil sim, não podemos mentir. Muitos já tinham desistido nos km anteriores. Desde o ponto do Jd, dos namorados vi gente largando a prova. 

Naquele momento, pelo menos comigo não eram as pernas que reclamavam. Mas o calor que me incomodava demais. Eu já havia perdido a minha meta pelo caminho e a esta altura só queria chegar. Pensei se já estou com a meta perdida agora só me resta chegar. E pisei fundo sem fraquejar, QUERO CHEGAR. Ia me consolando com boa parte dos que eu encontrava. Dava até para bater um papo.

Boa parte destas fotos aí do percurso foram tiradas pelo Enio que correu ao meu lado e por sinal bem para quem não esta acostumado com calor.

 Lá vamos nós, quase chegando em Ondina. Percebam a claridade do dia. Céu sem nuvem alguma. Só sol.
Na altura de Ondina, foto tirada por Alexandre Huang

E lá vou eu chegando gente

Foto tirada por Ruy
Feliz demais por estar concluíndo a minha primeira meia em Salvador. 

E lá estava eu chegando....  FELIZ demais.  

Quando termino uma corrida sempre repito que não tem coisa que me faça mais feliz quanto a corrida me faz. Mesmo debaixo do SOL de ontem e da dificuldade que foi, eu digo com toda certeza e convicção EU AMOOOOOOOO CORRER. 


EU AMOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!! Não importa tempo. 

E digo mais, não adianta brigar quando não se consegue a meta que queria lembram da semana passada?? Que nem fechar o treino fechei? Pois bem quando não dá é jogar a meta para cima e não desistir. Não consegui bater o tempo das 2h05 que fiz no Rio de Janeiro, em julho. Mas ainda assim saio com o SORRISÃO NO ROSTO da foto acima e com a convicção de que Deus me fez para correr. 

Obrigada !!!!!!! a TODOS. Todos que se esforçaram nesta meia e que nos deram apoio. Que nos ofereceram um copo de água quando a luta para chegar parecia difícil. A todos que fizeram desta corrida uma festa linda. PARABÉNS aqueles que desistiram também, quando o caminho parecia árduo demais. A desistência de vocês não foi uma coisa feia, não foi fraca. Foi forte até demais, de reconhecer os próprios limites do corpo. Esta não é a única corrida da sua vida, muitas virão. Parabéns aos que chegaram, aos que não chegaram, a TODOSSSSSSS NÓS!!!! Que AMAMOS CORRER SEMPRE. 

Após esta chegada linda e ao lado do Enio. Primeiro tomei um banho e coloquei muito gelo dentro da meia que parecia que estava pegando fogo.

Depois pose para foto...


Mas comecei achar uma coisa muito esquisita. O Lucas meu namorado, apesar de não correr, havia me falado que iria me ver. Mas até então nada, nada dele, nem sinal. Achei muito esquisito. O Lucas Monteiro chegou 

Lucas parabéns pela estreia

Mas nada do meu Lucas (meu amor) ali. Passa um tempo e quando é daqui a pouco, Lucas M., me mostra Lucas meu amor chegando. Nem acreditei, comecei a gritar Lucas, Lucas, Lucas... isso para tirar foto. Ao mesmo tempo ainda não acreditava no que estava vendo e no que ele tinha feito. Os Lucas já não sabiam a quem eu chamava, com tanto Lucas na vida....rsss

Lucas simplesmente fez um treino de 21km. E eu simplesmente não acreditava na doidice dele. O mesmo saiu de Itapuã bem depois da gente, com apenas uma garrafinha de água e um gel, sem ter treinado nada. Isso simplesmente para me fazer feliz. ÕHHH Meu Deus diz se eu mereço um amor destes.... nem acreditei. Ainda assim sem consumir nada da organização ele fechou o treino em 2h07, pensei é louco mesmo. Relatou até que pelo meio do caminho ouviu piadas como: "ôh cara, você esta atrasado demais. Os Baleias passaram aqui faz tempos".... morri de rir. ôhhh povinho da Bahia que incentiva a gente. Sai da rua vagabundo, fechando o trânsito. Pense no que ouvimos!!!


É meu amor, meu Luquinhas lindo.

Louco....como é que faz isso sem me avisar

Fiquei muito orgulhosa dele. Depois desta loucura tiramos mais algumas fotos e .....

 Turma
 Lucas, eu e Enio
Cobra, Sandra, eu, Aparecida e Enio
Saudades do Emerson

e BALEIAS que somos, fomos confraternizar. Passamos quase que toda a manhã na Delli Porto. Conversa boa que rendeu e muito


Mas não podíamos deixar de prestigiar o Enio em um restaurante regional. Fomos então almoçar no Sertão Bom. Pense num lugar que adoro.


Depois passamos em casa. O Miguel nos ligou e pediu que o Enio desse as boas vindas a minha mãe como a mais nova BALEIAS.



Dia MARAVILHOSO!!! Parabéns a todos pelas estreias em meias. Ao Lucas Monteiro, a Sônia, Fagner, Januário, Berilo, a todos os amigos corredores e aos BALEIAS pela festa que fizeram. Parabéns também aos organizadores pela corrida e organização. Desculpem-me se esqueci o nome de alguém.

ps: meu resultado nos 21km foi de 2h13. Fui a 6 colocada na faixa etária e 53 no geral feminino.

Tour BALEIAS por Salvador.... apertem os cintos


Em frente a Casa Jorge Amado - Pelourinho

Os preparativos para a Meia Maratona Farol a Farol começaram bem antes da corrida e com certeza nosso aquecimento começou no sábado nas ladeiras do Pelô. Tendo em vista a chegada do Ênio Akio / BALEIA de SP para participar da corrida, aproveitei para programar um tour com ele. Não sou uma excelente guia, até por que só moro em Salvador há 12 anos. "Tipo" conheço os lugares, mas nem sempre sei o nome das igrejas e de certos locais, afinal temos de concordar que Salvador tem uma igreja para cada dia do ano. Aliás acredito que hoje sejam mais de 365 igrejas. Mesmo assim isso não é motivo para não estarmos nos lugares. Aproveitamos e MUITO.

Enio Akio - Baleia de SP


Aproveitei para retirar o kit do Enio na sexta-feira, justamente para que no sábado estivéssemos livres. Neste saímos logo "cedo". O encontrei na Praça da Sé e de lá levei o mesmo conhecer o Pelourinho e as varias igrejas de Salvador.




Escadaria dos Passos onde foi filmado o filme O Pagador de Promessas

Passeamos por lá por  toda a manhã e como eu tinha o intuito de levá-lo a exposição de Jorge Amado que estava acontecendo no Museu de Arte Moderna aproveitei para ligar para a Sandra para e convidá-la para almoçar no próprio Pelourinho, assim ficaríamos próximos daquele. O desejo era que neste almoço estivesse presente o Lucas, e a Aparecida que veio de Aracaju para correr a meia. No entanto Aparecida me falou por telefone que estava cansada da viagem e preferiu não ir. Sendo assim no almoço, esteve presente apenas eu, Sandra e Enio. Optamos por almoçar no bar e restaurante Cantina da Lua, dado a sua história e por ser muito famoso. "A Cantina da Lua é um dos mais tradicionais bares de Salvador, quase um cartão postal da cidade. Fundado em 1945, o local está sempre povoado por turistas e soteropolitanos chegados à boemia. No cardápio, opções caseiras para todos os gostos:  desde o simples feijão com arroz até pratos típicos da culinária baiana." A Cantina da Lua, segundo o jornalista Fernando Coelho é uma espécie de ONU do Pelourinho. 

Almoço do sábado no Restaurante Cantina da Lua

Por sinal tivemos uma sorte grande de sermos atendidos pelo Clarindo Silva, dono do estabelecimento e figura famosíssima em Salvador. Clarindo Silva “é conhecido como prefeito do Pelourinho, pois participa do dia-a-dia da comunidade e demonstra um carinho especial por todo o Centro Histórico, Clarindo Silva é uma espécie de símbolo da Bahia que trabalha, samba, canta e é feliz”. 

BALEIAS com Clarindo Silva

Após um papo gostoso e comes e bebes na Cantina da Lua, saímos rumo ao Elevador Lacerda. Mas claro antes entramos numa roda de capoeira, mais um aquecimento bom.  Também tomamos sorvete na Cubana, sorveteria famosa no próprio Elevador.

ÔOOOOHHHH Bahia que eu AMO!! Bahia que não me sai do pensamento....


Elevador Lacerda
Mas cadê o Enio??? O japonês que gosta de tirar foto. Eu já não gosto....me dei bem!!!



Aqui o Ênio


E a Sandra....hum, bem rumo ao Museu de Arte . Olha a Sandra aí

Por que não basta SER BALEIAS, tem de MOSTRAR: SOU BALEIAS

E já no Museu de arte aproveitamos para poses frente a obra de Caribé. Adoro este artista

Miguel não se chateie por termos tirado a camisa BALEIAS. Estávamos morrendo de calor, e pingando de suor. Mas estava estampado ai no nosso coração a BALEIONAAAAA!!!

Concluo esta postagem com a frase da foto acima. A vida em movimento tem um sonho impossível de tocar!!!

Após o MAM Sandra nos deixou numa delicatesse perto de casa, onde Lucas veio nos encontrar e preparei um café para o Ênio. Eiii Lucas mas nem fale que estava forte, que não estava....

Enio e Lucas 

Fui dormir tardão e depois de tanto bater perna com as pernas um pouco doloridas. Pensei até que atrapalharia a corrida. Mas já já vocês vão saber o que ocorreu.

domingo, outubro 07, 2012

No treino de hoje...chamei por Jesus!!...


Durante a semana, criei uma expectativa muito grande para que o fim de semana chegasse. O intuito era grande em fazer um longão. Como infelizmente boa parte dos grupos de Salvador  treinam aos sábados ( e neste dia eu tenho aula de português) apesar de ter recebido diversos convites para treinar neste dia no Parque de Pituaçu tive de recusar todos.  E claro procurar alguém disposto a fazer este treino no domingo.

Está sendo difícil puxar Lucas para treinar, sendo assim precisei arranjar outra companhia. Mesmo tendo treinado em Pituaçu os 15km, no sábado, ainda  assim Otávio decidiu me acompanhar. Claro que eu faria um treino em ritmo moderado. A pretensão era sei lá, 18km com pace de 6' / 6'10''. 

No entanto parece que quando se planeja algo, dá tudo errado. 

Acordei bem cedinho com cólica e com sinais de urticária no corpo. A boca inchada e placas vermelhas nas pernas. Corri ao banheiro passei uma pomada na boca e fiquei aguardando que pelo menos baixasse até sair. As placas vermelhas  sabia que não sairia cedo, mas já não me incomoda tanto quanto os inchaços. Tomei o remédio que tomo todos os dias para este probleminha e fui para o café. 
X  Ôôhhh.... Acho que os erros começaram a partir do café.... Comi muito carboidrato... ( 3 bananas, sendo que uma foi batida com leite de soja + depois tomei uma colher de mel + comi 3 biscoitos integrais salgados + 1 pedaço de bolo e uma xícara de café). Acredito que errei por ter comido pouco sódio, coisa que fui sentir no treino. Mas vamos lá... 

Cheguei às 6:40 no ponto combinado com o Otávio. O mesmo pontual, já estava lá. Aguardamos mais uns minutos um outro amigo que viria, mas não compareceu e as 7h demos início a corrida. 

Saímos do restaurante Villas, Jd. dos Namorados na Pituba em direção a Itapuan . O segundo erro começa aqui.... X Dei start no garmim mas parece que ele não detectou os primeiros km de corrida, sendo assim eu mantinha uma corrida forte achando que meu pace estava alto. Nesta brincadeira minha frequência estava sempre alta. Foi quando eu disse Otavio alguma coisa vai mal.... e ele disse você esta puxando demais para o que se propôs. Daí foi que fui ver que eu vinha em um pace  de 5'25 e simplesmente não estava percebendo. Acredito que percorri pelo menos 1km e alguns metros deste jeito....

Mas mesmo reduzindo a minha frequência continuou alta... cogitei ser a possibilidade dos dias femininos e da cólica. Já fiz treinos nestes dias, e de fato  a frequência as vezes pode ficar mais alta. Mas eu estava cansada demais...não sei, queria fazer o treino e o corpo não reagia.

No 8km eu quebrei .... e fiz uma parada para tomar uma água. Assim que parei, me senti tonta. Não que já não viesse assim. Sentei, baixei um pouco a cabeça e joguei água. Me recuperei e começamos a andar um pouco.... percorremos uma parte andando - com o garmim marcando. Tomei o gel de carboidrato que também tem sódio e voltamos a correr.

Como se fala na Bahia hoje eu chamei por Jesus no 8km....


Se o treino já estava perdido, meu intuito foi então mudar de plano. De A para B, decidir continuar e pelo menos concluir um treino de 2horas, independente de velocidade. 

Otavio com toda paciência seguiu e ainda fez paradas que sei que foram para me poupar. Tomamos água de coco em algumas e consegui pelo menos terminar o longão. Perfazendo 16,930km em 2:00:06.


Basta clicar para ver maior

Foto do fim do treino, "morgadona". 

 Muitooooo CANSADA hiper cansada. Fui para casa, almocei , votei e dormir.... dormi um sono de pedra que mesmo Lucas tocando 40 minutos a campainha e o telefone da minha casa eu não acordei. Só derrubando a porta, rsss! Tadinho.... Mas estava muito cansada e espero que a semana seja melhor e que eu consiga me recuperar. 

Levantar a cabeça e tentar melhorar.... pelo menos os dias de mulheres vão embora... menos mal.