sábado, março 15, 2008

A viagem a UMEÅ

Queridos amigos este será um diário de bordo para que todos possam saber notícias da minha viagem a UMEÅ - Suécia. Logo na quarta-feira, dia 12 de Marco saí de casa às 15h em direcao ao aeroporto de Salvador, eu não quis que muita gente fosse me acompanhar por que não gosto de despedidas, por isso apenas minha mãe e minha tia Railda me levaram. Lucas havia estado em minha casa um dia antes e diversas pessoas passaram por lá ou me ligaram. Pois bem, ainda entrei no embarque com um pouco de choro, eram 16:40 e Tiago ainda não havia chegado. Por coisas da vida acabei conhecendo uma garota brasileira que ia para Noruega e que acabou me sendo muito útil , por que eu nunca havia feito uma viajem internacional e também era minha primeira viajem de avião,a mesma foi ao meu lado por que trocamos com outra pessoas, mas em Lisboa ela seguiu em outro avião. Ela era de Maragojipe e mora na Noruega há 3 anos. A viagem seguiu tranquila, não mais chorei, pois não sou nenhum bebe e pensei na quantidade de coisas que haveria de encontrar pelo caminho, tive medo de algumas turbulências que aconteceram com o avião e até rezava por que sei lá. Também não tive vontade de comer no avião e passava minha comida para Silvana (Maragojipana), o prato principal ficava com ela e eu só comia a sobremesa e a salada, mas quando cheguei em Lisboa vi o resultado, passei mal com aquela salada, justamente quando estava na fila da imigracão corri para o banheiro. mas Depois fiquei bem. Nossa escala foi em Lisboa, o rapaz da imigracão apenas nos perguntou o que iriamos fazer em Portugal mas eu o respondi que não ia ficar em Portugal mas que estava seguindo viajem para Suécia, daí ele nos deu o carimbo e seguimos bem. Uffffa!!!! Tomei um suco e comi metade de um pão com manteiga ( 5,85 euros). Tiago tentou fazer uma ligacão para o Brasil mas só fez perder 1 euro, por que a máquina puxou o dinheiro e não mais devolveu e também não o deixou fazer a ligacão. De Lisboa seguimos para Estocolmo, fui no Free Shop e realmente percebi do que minha sogrinha falava, quanta grife e quantas delicias de chocolate , dava vontade de comprar tudo, nas vou deixar para quando voltar, não comprei nada.As nossas malas demoraram de descer e até tive medo de perdermos o avião, mas deu tudo certo. Em Estocolmo não mais se falava em Portugùês nem no avião, ou Sueco ou Inglês. Já saindo de Estocolomo conheci um Pastor no avião, o mesmo puxou cpnversa comigo perguntando se eu sentia frio por que eu estava de luvas, fomos conversando a viagem toda até Umeå, e daí eu não mais sentia dor de cabeca, ele me entreteu. O nome dele era Mogens e ia a Umeå dar depoimentos a jovens. Ele tinha uma boa aparência e nem se dava a idade que o mesmo me disse ter, 39 anos,usava brincos e eu o perguntei se não existe preconceito aqui, ele disse que não.Ele me deu algumas dicas de como sobreviver no frio e também me passou seu contato para qualquer coisa, eu fiz o mesmo e dei meu endereco para quando ele voltar a Umeå, ja que sempre vem aqui.De Estocolmo a Umeå é muito rápido e nossa conversa não pode ser prolongada. O professor Oleg foi nos buscar no aeroporto . Passamos primeiro na casa de Tiago, só vimos uma moradora, e tava tranquilo, depois seguimos até a minha, que ao contrario era muito animada, tinha música e muitos moradores que pareciam serem amigos, muitos visinhos que aparentavam felizes e de diversos lugares. Meu quarto aqui é maior um pouco que o do Brasil, tem um escrivaninha do jeito que eu gosto, abaju, guarda roupa, banheiro grande, poltrona, cadeira, e há uma cozinha que é comum a todos. Aqui cada um lava seu prato e faz sua comida, porém cada fim de semana um fica com a limpeza do seu corredor e com a cozinha, até mesmo meninos. Cada um tem uma parte no armário e na geladeira e não há com que se preocupar , as pessoas são muito educadas e não pegam nada de ninguém. Oleg nos levou ao supermercado, no shop e nos perguntou se saberiamos voltar para casa, nos deixou lá fazendo compras e foi embora.Aqui sacolas de supermercado são pagas, equivale a 30 centavos aí. Conheci um Indiano logo no supermercado. Depois do supermecado Tiago me deixou em casa, fiz meu café, mas passei vergonha antes, eu havia comprado um quilo de farinha trigo achando ser acucar, meus viznhos deram risadas, mas Lesley me emprestou acúcar.Não sei o que farei co a farinha, mas se tiverem sugestão eu aceito. Johan me ensinou a usar o forno eu ofereci sequilhos para ele e o mesmo adorou. Depois o pessoal foi para os quartos e eu fiquei na companhia de Beto, ele e da Itália e e muito gente fina, tem me ajudado bastante. Estou estranhando o quanto estou falando bem ingles, parece ate que implataram um papagaio em minha garganta, todos tem me entendido e não tenho sentido dificuldades a não ser no supermercado, por que os alimentos estão em sueco. Ah! esqueci de falar uma coisas, quando chegamos aqui, a cidade estava em gelo, esta nevando e estamso com 0 graus , mas estou ótima, só é difícil andar no gelo, é escorregadia. Enfim fui dormir, estou escrevendo isso hoje dia 14 de marco, os ecsritos estao um pouco atrasados, por que ainda não estou com acesso costante.
abracos

2 comentários:

Marta Glácia disse...

Oi Dart!

eu sabia que Tiago ia p o intercâmbio! mas, ñ sabai de você... fiquei sabendo através de um mail q vc enviou para a lista da Faced.... fiquei muito feliz por vc!!!

espero que dê td certo por ai e q vc tenha mtos sucessos!!aproveita bastante!!

bjs

Gel disse...

Oi Dart!
Fiquei feliz que você chegou bem!!!
Aproveite bastante e nos deixe sempre informados.

Saudades
Bjos