quarta-feira, junho 27, 2007

E ainda dizem que a noite é uma criança...

Pobre noite? ou noite pobre?

Estava alí, na praça a namorar e ele a dormir. Enquanto eu tremia de frio, ele estava encolhido sem nenhum gemido,

eu tentava me aninhar nos braços do meu amor

ele nem tinha a quem lembrar;

eu me apavorava em ver aquela cena, mesmo sabendo que havia em diversos lugares

ele continuava a dormir.

Será que tinha sonhos?

Ele dormia embaixo dos brinquedos, enquanto um bebê brincava...

ele, ele,

tinha apenas alguns aninhos e dormia na noite sozinho.

E ainda me dizem que a noite é uma criança....pobres coitados, a noite é mãe, que cuida de todos eles e elas, toma conta de todos nós...criança queria ela que fosse...criança...apenas um casaco....faz muito frio e ainda chove.

Dart Araújo

14.03.07




No meio daquela multidão ele se perdia, tão pequeno e já frequentando festas

Pequenino, mal se podia enxergar aquele ser

Eu o assustei, ao tocá-lo, peguei em sua mão e perguntei se estava perdido

Me disse que não, e vi que em sua mão havia uma sacola com latinhas

Ele era catador de latas

Aquilo me partiu o coração, fiquei muito triste e minha festa parecia ter acabado

Enquanto eu estava ali dançando, cantando e me divertindo

Ao meu lado passava uma criança, aparentando ter seus cinco anos, muito pequenino e trabalhando para sobreviver

Parecia que meu coração sangrava de sentimento

Me sentia uma gigante, e ao mesmo tempo fraca

Aquele olhar de medo não me sai da cabeça

Era apenas mais uma criança, naquela madrugada fria, tentando viver mais um dia.

Dart Araújo

26.06.07


Nenhum comentário: