sexta-feira, junho 29, 2007

Confesso que esse não foi um dos melhores artigos que já fiz, mas enfim tenho que publicá-lo


Rádio Educadora FM: uma rádio voltada para elite





Resumo

O presente artigo tem por objetivo tecer considerações sobre a Rádio Educadora FM de Salvador, refletindo sua programação, desde seu surgimento, na tentativa de compreender o por que muitos autores e os próprios ouvintes sempre a considerou como uma Rádio de Elite.



Palavras chave: Rádio Educadora FM, programação de elite, educação



Introdução


A emissora de rádio, a que faço menção nesse artigo, refere-se a Educadora FM. Tal emissora, é integrada ao Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – IRDEB, desde o seu surgimento, e era vinculada à Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Hoje esta sob a responsabilidade da Secretaria de Cultura e Turismo. A escolha dessa emissora se deve ao fato da contribuição que esta dá a sociedade. Caracterizada pela diferença na programação, sempre com músicas de “qualidade”, para alguns, no início surgiu com o intuito de promover educação a distância, algo que era comum nas rádios da época, e aos poucos foi sofrendo alterações na programação, assim como o próprio conceito de educação foi mudando. Como todo meio de comunicação, sofre críticas, em determinados momentos sempre foi alvo de reclamações, devido ter uma programação voltada apenas a um tipo de público.
No primeiro momento, procura-se fazer uma síntese sobre a história da Rádio Educadora, baseada em Leite Filho (2003). O texto tem seqüencia com a descrição de como era organizada a programação da emissora.


Um pouco da História da Educadora FM


A Rádio Educadora foi ao ar pela primeira vez no dia 31 de março de 1978, outorgada pela portaria 617, de 7 de julho de 1977, que foi publicada no Diário Oficial da União, um ano depois. Inaugurada com muitos improvisos e poucos recursos, a Educadora foi se desenvolvendo aos poucos. “Foi um grande corre-corre, lembra Aristocléa, diretora do Irdeb na época” ( LEITE FILHO, 2003). O grupo, além de não ter recursos financeiros para instalar a rádio, tinha um prazo dado pelo Ministério das Comunicações para o fazê-lo, o que em breve expiraria. Os ajustes continuaram até mesmo na hora da inauguração oficial da rádio, pois o alcance do transmissor, de 50 watts, emprestado pela Rádio Cruzeiro, em que a rádio estava funcionando, era insuficiente e foi necessário conseguir outro. O empréstimo foi feito pela Rádio Sociedade, que ofereceu-lhes o RCA, de 250 watts. Não houve tempo para ajustar tal equipamento e o cardeal Brandão Vilela, convidado para a inauguração, acabou por dar as bênçãos ao que já estava lá.
A inauguração da Rádio foi comemorada com muita alegria, e apesar do país estar passando por um momento ruim – aniversário do golpe militar, tentou-se esquecer aquela fase e apenas curtir a concretização de um sonho, sonho dos que estavam envolvidos, a tanto tempo, com o projeto. A escolha da data de inauguração, 31 de março de 1978, era uma homenagem a Revolução de 64, algo que também se fez importante para a viabilização do projeto de implantação da rádio. No momento do discurso, o governador Roberto Santos aproveitou para saudar o regime que havia sido implantado em 1964.
A época de inauguração da rádio foi um momento difícil, pois o regime militar ainda estava forte e a censura presente. O Ato Institucional nº5 ainda vigorava, com contagem regressiva para dezembro daquele mesmo ano.
No principio, ouvir Educadora era privilégio apenas dos moradores da Federação, Graça e vizinhança, pois a emissora estava localizada naquela região. Com o tempo, foi aumentando a audiência e também as cobranças, que exigiam da emissora investimentos para melhorar a qualidade do som e da transmissão. Como sabemos, para se ter uma boa qualidade de transmissão, são necessários equipamentos suficientes, coisa que faltava na Educadora, pois não tinham equipamentos de reserva, o que se tornava uma dor de cabeça quando dava problema em algum equipamento.
Daí vieram os investimentos, o transmissor RCA, 250 watts, que fez figuração durante a inauguração, cedido pela Rádio Sociedade, começa a funcionar, e o de 50 watts vai para a reserva. As condições do Irdeb sempre foram precárias e somente em 1979 é que o Irdeb comprou seu primeiro transmissor, um Harris de cinco quilowatts. Assim, os outros transmissores, emprestados, acabaram sendo devolvidos, e a Educadora ficou sem reserva. Novamente é importante salientar que, com poucos equipamento a transmissão ficava comprometida, caso desse problema em algum transmissor.
Nesse momento, o rádio dá um salto na qualidade dos equipamentos, sejam comprados ou ganhados, porém o problema de antes ainda prevalece. Quando dava problema em um transmissor, não tinha outro para substituir e assim a Educadora ficava fora do ar por algumas horas. Dentre essas saídas do ar, a Educadora já chegou a ficar 24 horas fora.
O sufoco só acabou em 1984 quando o diretor Sérgio Mattos comprou o trasmissor SNE, de um quilowatt. A programação já se estendia até a meia-noite, antes era até 20h, e já não tinha mais problemas com a transmissão. Cada vez que chegavam novos equipamentos para a emissora era sinal que seu alcance seria maior.
A Educadora foi tentando acompanhar as mudanças do mercado fonográfico todo esse tempo, que já são 29 anos, para deixar seus ouvintes satisfeitos.



Programação



A preocupação da Educadora esteve, desde a transmissão, aos programas, e em momento algum a rádio cedeu às pressões do mercado. O mais importante era produzir trabalho de qualidade e não concorrer com outras emissoras comerciais. Não era e não é intenção do Irdeb concorrer com outras emissoras, e isto tem relação também com o canal de televisão Educativo mantido pelo Irdeb. É importante perceber que essa era uma posição da instituição que mantinha o canal, já que desde o surgimento da radiodifusão no Brasil, a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, Capítulo V, Referente a Comunicação Social, no Art. 221, determinava que a programação deveria ter fins educativos, científicos, artísticos, e de benefício público, ou seja uma programação de qualidade.


Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:

I- preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais, e informativas;
II- promoção da cultura nacional e regional, e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;
III- regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;


Além disso, a legislação previa que as rádios não poderiam propagar notícias de cunho político sem a prévia permissão do governo.
A Educadora sempre teve uma grande preocupação com o conteúdo que ia ao ar e com a qualidade musical. Naquela época, era uma rádio apenas musical, mas com o tempo, Cid Teixeira deu a idéia de se criar uma programação de cultura e programas de divulgação comunitária. Entre os programas de cultura se destacaram o Bahia, Ontem e Hoje, que trazia informações turísticas; Merece Ser Ouvido, com música erudita, popular e folclórica; e Um Pouco de Tudo, de caráter cultural. Já os programas de divulgação comunitários se referiam a programas de utilidade pública, com informações gerais, desde conteúdos de saúde, primeiros socorros, a informações profissionais. E mais adiante foram surgindo outros tipos de programas, ou seja, a Educadora passou por várias fases.
A emissora acabava por ter um público seleto, devido a tocar músicas de qualidade. Executavam músicas eruditas, MPB, e davam valor ao músico local. Ou seja, você podia estar ouvindo a Educadora e se deparar com músicas dos diversos estilos, a música de Luiz Gonzaga, como também a do “Zé do Pau” em Jacobina, tanto que às vezes as pessoas diziam ter só tal tipo de música na Educadora, o que gerava um certo preconceito. No início a Educadora só tocava músicas brasileiras, somente depois de algum tempo veiculou músicas estrangeiras. Hoje ainda percebemos que a música popular brasileira prevalece, porém,

desde 2003, a programação vem passando por um processo de modernização, com o lançamento de programas dedicados a gêneros como jazz, rock, blues, reggae, salsa e black music, entre outros. A emissora promove também um festival de música anual voltado para músicos da Bahia ( IRDEB, 2007).


Mas para nós educadores, será que a emissora distanciava ou ainda distancia alguns ouvintes, devido a só tocar determinados estilos? E a função Educativa? Quando falamos na questão do distanciamento do ouvinte, é justamente devido ao fato da diversidade de gostos, nem todos gostam de ouvir MPB, ou músicas que estão contidas na programação da Educadora. É perceptivo que em determinados comentários da época ficava claro o (des)interesse pela emissora; “isso só tem na educadora”, alguns amigos meus sempre faziam esse comentário quando ouviam alguma música esdrúxula ou antiga, “isso é coisa da educadora.” Ela vinha com o intuito educativo, mas não contemplava a diversidade, o que é bom para mim nem sempre é bom para o outro.

Ainda hoje, alguns estudiosos teimam em afirmar que música clássica é educativa, mas rock (nacional ou estrangeiro) não, como se apenas um estilo tenha potencial educativo. Isso porque o conceito de bom ( e mau gosto) ainda é analisado desde o ponto de vista das elites e não desde o ponto de vista das classes populares. (BARBOSA FILHO, André e CASTRO, Cosette, 2005).


E há algum tempo a Educadora já não vinha transmitindo os programas do Curso Supletivo, e estava se perdendo
Ou seja, a comunicação no rádio vinha com o intuito completamente adverso ao seu significado

a comunicação entendida no sentido latino da palavra representa, para além do comunicativo, comunhão, comunidade; significa compartilhar informações e saberes sem restrições de raça, cor, religião, gênero, origem, idade, nível educacional ou econômico. Significa também olhar e escutar o outro , seja o desconhecido que se encontra na rua, o que olha através da televisão ou escuta o rádio, colaborando para que ele desenvolva-se como sujeito (BARBOSA FILHO, André e CASTRO, Cosette, 2005).

O rádio é um mundo repleto de sons e palavras que dão asas à imaginação daqueles que não sabem ler, por isso se faz muito importante o seu uso na educação. Mas a sua função deveria ir muito além da programação, da audiência, que hoje e sempre foram essenciais, deveria exercer também a função social de priorizar seus ouvintes, respeitando suas culturas, e não impondo determinados estilos. Coisa que acontecia com a Educadora, há um tempo atrás e que muitos ainda reclamam de não terem uma programação satisfatória a todos os gostos.
A Educadora FM deveria contemplar a todos, já que se diz ser uma rádio educadora, porém é perceptivo na fala de alguns autores que não acontecia dessa forma a escolha da programação da rádio, e que em alguns momentos havia conflitos, como ainda deve acontecer atualmente.
Leite Filho (2003) nos mostra que, em 1989, o coordenador de programação, Luís Claúdio, enfrentou alguns problemas com a questão da escolha da programação. O atual diretor do Irdeb -, Walter Tanure, queria impor uma programação pessoal, com música orquestrada, pois queria acompanhar da sua casa as músicas preferidas, sendo tocadas na rádio. Para tanto fez que demitiu Luís Claúdio, o que resultou numa queda da audiência, levando a Educadora ao último lugar.
Cada vez que mudava de direção, com a troca de governo, novas idéias surgiam e alterações eram feitas na programação, não dando seguimento ao que já estava indo ao ar, resultado que poderia ter boas ou más consequências, fazendo a audiência cair ou subir.
O verdadeiro questionamento era que a programação da emissora era elitizada. A Rádio Educadora rapidamente ocupou o lugar da Jornal do Brasil, que foi uma das rádios FM- que, na época, tinha uma programação light, reunindo os clássicos da bossa-nova, música erudita, jazz e gêneros semelhantes. Sua programação atingia um público pequeno, mas bastante selecionado, da classe A e B. E ao longo de toda a história da Educadora sempre foi esse o caminho. Hoje, acessando o site da emissora, que precisou também se adequar às novas tecnologias e já possui disponível também uma rádio web, percebemos que sua programação naõ mudou muito, mas que a mesma tentou continuar dando a oportunidade aos músicos baianos com a criação do festival de música, e se modernizar adicionando novos estilos musicais na programação, mas que continua sendo uma Rádio para a elite.



Considerações Finais



O estudo da história da Rádio Educadora só vem confirmar que sua programação sempre foi elitizada. Marcada desde os anos iniciais por uma audiência de ouvintes da classe A e B, que gostavam de ouvir músicas eruditas. Surgiu como uma rádio educadora, porém tinha uma programação que não contemplava a diversidade, algo que se faz primordial no contexto pedagógico.




Referências:



BARBOSA FILHO, André , CASTRO, Cosette, O rádio de Mario Kaplun é o rádio do futuro - a aplicação da práxis de Kaplun como ferramenta para a inclusão digital. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 28., 2005. Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom, 2005. Disponível em: <> .


LEITE FILHO, João S. , Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia, Educadora 25 anos da FM 107,5 / IRDEB. Salvador, IRDEB, 2003.


PEREIRA, Célia Maria Corrêa, BARCELOS, Maria da Conceição Viana, RIBEIRO, Otacílio José CRUZ, Dulce Márcia Cruz. Educação em ondas: o rádio como instrumento e como possibilidade. XXIV Congresso Brasileiro da Comunicação – Campo Grande /MS – setembro 2001.

site do irdeb
http://www.irdeb.ba.gov.br/estrutura.html

site da rádio educadora
http://www.educadora.ba.gov.br/

quarta-feira, junho 27, 2007

E ainda dizem que a noite é uma criança...

Pobre noite? ou noite pobre?

Estava alí, na praça a namorar e ele a dormir. Enquanto eu tremia de frio, ele estava encolhido sem nenhum gemido,

eu tentava me aninhar nos braços do meu amor

ele nem tinha a quem lembrar;

eu me apavorava em ver aquela cena, mesmo sabendo que havia em diversos lugares

ele continuava a dormir.

Será que tinha sonhos?

Ele dormia embaixo dos brinquedos, enquanto um bebê brincava...

ele, ele,

tinha apenas alguns aninhos e dormia na noite sozinho.

E ainda me dizem que a noite é uma criança....pobres coitados, a noite é mãe, que cuida de todos eles e elas, toma conta de todos nós...criança queria ela que fosse...criança...apenas um casaco....faz muito frio e ainda chove.

Dart Araújo

14.03.07




No meio daquela multidão ele se perdia, tão pequeno e já frequentando festas

Pequenino, mal se podia enxergar aquele ser

Eu o assustei, ao tocá-lo, peguei em sua mão e perguntei se estava perdido

Me disse que não, e vi que em sua mão havia uma sacola com latinhas

Ele era catador de latas

Aquilo me partiu o coração, fiquei muito triste e minha festa parecia ter acabado

Enquanto eu estava ali dançando, cantando e me divertindo

Ao meu lado passava uma criança, aparentando ter seus cinco anos, muito pequenino e trabalhando para sobreviver

Parecia que meu coração sangrava de sentimento

Me sentia uma gigante, e ao mesmo tempo fraca

Aquele olhar de medo não me sai da cabeça

Era apenas mais uma criança, naquela madrugada fria, tentando viver mais um dia.

Dart Araújo

26.06.07


terça-feira, junho 26, 2007

São João arretado!!!Vai deixar saudades!!!

Eta...que esse São João foi bom demais, viajei na sexta-feira, com Fabrício e Darlene para Cruz. Foi muito bala! Ficamos na Residência Universitária da UFRB, com a galera de Baixa Grande... e curtimos muito. No sábado ainda fui em Santo Antonio de Jesus. As noites em Cruz foram muito boas, dancei pra caramba e me desestressei da facul, um pouquinho, apesar de estar com um artigo que não me saía da cabeça. O domingo foi massa, mas fiquei com muito medo da guerra de espadas, o tempo lá era muito instável, a qualquer momento alguém jogava uma espada perto de você... acreditam que até no posto de gasolina a galera fez guerra, e foi justamente quando eu estava lá...... MEDO!!! o povo não respeitava mesmo. E também tinha guerra de som....kkk!! é que onde eu estava, na orla, cada um que chegava com carro, abria e ligava o som bem alto, teve até dança do siri. Um garoto também subiu na bomba de combustível do posto para dançar, e foi muito engraçado por que ele caiu....risos!!e mais risos!!e afesta não parava.... ah! e teve uma que foi demais....a festa tava muito boa, mas Fabrício e Israel nos deportou....chamaram o táxi e botaram eu, Darlene e outros para casa...espertinhos....diziam eles que era para irmos para rua mais tarde...mas tava tão bom lá no posto que eu não queria ir embora...fomos retadas.... Mas enfim.... na segunda-feira, não tinha passagem para voltar, a rodoviaria tinha fila de espera, sorte minha que consegui carona para mim e Darle....
a estrada estava um caos e o engarrafamento foi grande, mas consegui chegar a tempo de ir para aula de Edc e Tecnologias Contemporâneas.

Foi muito bom!!!!.... Em breve coloco as fotos aqui....


vídeo do menino que dançou em cima da bomba em Cruz....
http://www.youtube.com/watch?v=e6Ov1_6_g1k

segunda-feira, junho 25, 2007

Hoje foi a última aula de Educação e Tecnologias Contemporâneas.... cheguei atrasada na aula, mas mesmo assim foi bom... Fizemos uma avaliação grupal e individual, além da professora tecer comentários sobre cada aluno, achei muito boa essa avaliação, pois faz com que cresçamos. Essa disciplina me fez crescer muito, e até aprender a receber críticas, a escrita do artigo colaborativo foi um desafio, e o artigo final tambem deu muito trabalho, tanto que ainda estou na peleja...mandando para a professora fazer correções.
Essa disciplina vai deixar saudades. Passou muito rápido, e foi muito bom para meu crescimento pedagógico... sem falar que o acesso ao meu blog cresceu bastante.

Logo que a professora corrigir o artigo...publico aqui.... esperem. Tá muito legal.

quarta-feira, junho 20, 2007

O balão vai subir....eta... São João!!!


Então me segura... por que o semestre parece não acabar... estou cansada a ponto de estafar....mas isso vai acabar... faltam 9 dias!!!! 9 dias!!!! ainda de muito trabalho....

Na sexta estou indo passear, quem quiser me encontrar, estou indo para Cruz das Almas, por que ninguém é de ferro e um forró vou dançar. Quando não festejo São João é como se o ano não tivesse sido completo para mim... gosto muito dessa festa, e sou mais ainda felizarda por morar na Bahia.
Então me acompanhem queridos!!!

Beijão e boa festa para todos.... cuidado com o licor, não exagerem...ah! e quem me acompanhar, cuidado com as espadas...

ps: Pena que estou de volta na segunda....por falar nisso, na segunda publico, aqui,meu artigo sobre a história da Rádio Educadora...

terça-feira, junho 19, 2007

Roubos no tempo de politicagem...


Tava alí armado, dizendo apontar para mim o que não havia.. esse negócio de roubar políticos tá na moda, e não é que ele vinha roubar um? Mas este estava muito ocupado, agora diretor de comunicação não quis lhe dar muita atenção e no celular continuava a marcar seus compromissos... As moçoilas que sebo tinham nas pernas, deram a correr, e o ladrão a gritar "voltem, voltem, estou armado"... pobre coitado...uma já estava a metros de distância, naquela ladeira miserável de direito, outra seguia abaixo do viaduto, com o intuito de se jogar em cima dos carros, pode?...o outro atordoado com notícias da politicagem, dizia vou jogar minha placa de campanha, vou jogar....kkkk!!!

Engraçado? não é?mas para quem viveu não... tive que correr muito, por causa daquele merdinha....

E abaixo seguem notícias também no blog de Dori...se cuidem meninas e meninos!!!

Extra! Extra! Caderudo ataca no viaduto da Graça

Atenção moçoilas casadouras e jovens líderes estudantis. Cuidado!
O famigerado, sanguinolento e cruel Cadeirudo anda às espreitas novamente....
Desta vez o devasso esqueceu que é quase São João e disfarçado de assaltante à
mão desarmada em início de carreira atacou duas jovens estudantes da FACED e um de computação no viaduto da Graça.
Graças ao sebo na canela das meninas e a valentia do jovem mancebo nada de grave ocorreu.... Mas é bom estarem atent@s.

http://dorill.blogspot.com/

segunda-feira, junho 18, 2007


Na aula de Edc. e Tecnologias dessa semana tivemos a apresentação do seminário de Internet e Educação... as meninas apresentaram a história da internet, quando surgiu com maior intensidade aqui no Brasil e nos trouxe também conhecimentos sobre a EAD- Educação a distância... o trabalho foi bom, poporém achei que o grupo ficou um pouco segmentado na hora da apresentação...no mais foi tudo ok.... semana que vem será nossa última aula...espero me dar bem...risos!!!ainda tem o artigo que ta me dando uma dor de cabeça só...

quinta-feira, junho 14, 2007



Gente, me perdoem...quem ler meu blog, que sei que tem pessoas assíduas, mas ultimamente estou atolada de trabalhos e por isso não estou postando...em breve volto a ser eu ...risos!!!

Uma leve canção para alegrar o teu cansaço, meu amor....


segunda-feira, junho 11, 2007



Na aula de Edc. e Tecnologias dessa semana, tivemos a apresentação do grupo de Tv e Impressos. Adorei a apresentação de impressos, acho que fizeram um bom trabalho, e trouxe um bom esquema com relação a o antes para o depois...relacionando com o surgimento de novas tecnologias... comentou desde os cordeis aos jornais on line...