segunda-feira, maio 28, 2007

III Semana de Software Livre


A III Semana de Software livre da Faced, encerrou-se às 18:55 da sexta-feira passada... com o encerramento foi se também a sensação de "tarefa cumprida", tarefa cumprida no sentido de ter feito um bom trabalho e uma boa discursão sobre o Software livre...
Essa foi uma das melhores semanas que tivemos na Faced... pudemos ver, pelo desespero das pessoas em querer participar das oficinas..teve uma boa repercussão... falo isso pq tenho experiência no caso...risos!!! quando entrei na faculdade, ainda caloura, estava acontecendo a I Semana de software livre, e eu não suportei, nem sabia o que era isso, do que estavam falando.
Mas em seguida, comecei a aprender mais, e hoje fazendo parte do GEC, o Software livre se tornou presente nos meus diálogos com o grupo... hoje são as pessoas que não suportam mais ouvir meu discurso sobre o uso do software livre.
Penso que esses eventos que o GEC, e que outros grupos, como o PSL-Ba, fazem, se tornam muito importante, por abrir para a comunidade o diálogo sobre tais programas livres. Muitas vezes não sabemos do que se trata e por já estar condicionado a usar outros programas, proprietários, não damos muita importância. A semana além de trazer várias mesas, palestras, com presenças relevantes, também deu aos alunos e a comunidade a oportunidade de participar e conhecer os programas, fazendo as oficinas... foram várias oficinas que aconteceram simultaneamente...
e era super engraçado ver a porta dos laboratórios de informática lotados... pois o que nas primeiras semanas, não aconteceram...nessa foi um exagero...
lembro que na primeira, precisava o pessoal ficar puxando os alunos para que acontecesse... risos!!!era muito engraçado, por que enquanto o DA de Pedagogia queria fazer uma atividade conosco, o pessoal da semana queria que a gente participasse das oficinas...e ninguém se interessava... mesmo não sabendo usar os Tabuleiros Digitais, o pessoal preferia se matar lá no programa, mas não davam importância a tais oficinas...
Mas enfim, foi gratificante... ter a participação de todos os alunos, palestrantes, comunidade no geral na semana de software livre.... Foi muito boa!!! Apesar de não ter sido fácil....

O que é a Semana de Software livre?


"A III Semana de Software Livre da Faced tem como objetivo dar continuidade às ações do Projeto “Sou Livre Também!”, visando criar espaços para reflexão, discussão e vivências sobre Software Livre, Inclusão Digital e Formação de Professores. Nesta edição da Semana estaremos extrapolando o âmbito da Faculdade de Educação/UFBA, ao articular simultaneamente outras comunidades para as discussões sobre essas temáticas, levando em conta as especificidades e necessidades de cada contexto envolvido. Assim teremos, simultaneamente, a I Semana de Software Livre de Irecê que tem como objetivo ampliar as ações do Ponto de Cultura Ciberparque Anísio Teixeira, buscando mobilizar a comunidade ireceense para o debate sobre as questões relacionadas com o uso de software livre e os processos apropriação tecnológica e produção da cultura local". http://www.ssl.faced.ufba.br/twiki/bin/view/SSL#O_que_%E9_a_Semana




quarta-feira, maio 23, 2007



A escuridão e o ruído da incerteza me apavoram
A esperança daquela certeza que antes houvera, se desfaz na tua presença
O meu suor que um dia destilou esse veneno
Hoje destila o sangue da minha alma
Minha presença se desfaz quando estás em paz
A alma não mais se satisfaz
Não aceito mais,
E apesar do choro, não suporto
Apesar da tua dor,
Minha dor é maior,
Por que tu, tu é vinho sem cor
Tu é dor
Me fazes menor
Tu não acreditas em mim
Mesmo que eu busque o tesouro
Jamais serei alguém para ti
Minha alma chora,
Minha alma geme,
Esse veneno destroí a minha vida
Esse veneno destroí o meu amar
Destroí minha forma de viver
Destroí o meu pensar
Meu raciocínio entra em devaneio
E muito pouco posso devir
Me deixa ser livre, me deixa voar
Por que sem ti, sou mais feliz

14/03/07 Dart Araújo


Imagem retirada do blog de Manga: http://www.teleblogger.blogger.com.br/2006_05_01_archive.html

terça-feira, maio 22, 2007


Apesar do teu quarto ser ao lado do meu, da tua cama ter sido a minha, tua porta ser vizinha da nossa
Teu passo é tão perverso
Tu se veste de forma discreta
Eu posso ser brega Curto boteco, teatro, cinema, música e roupas alternativas
Tu curtes a vida burguesa,
Eu sou feliz na minha casinha, na vida simples e em família
Tu queres colocar camelôs fora das calçadas, pisa nos mendigos, e anda em carro de vidro fumê
Tu és tão egoísta
Eu quero ser artista, poeta e cientista
Tu queres ter um trabalho e vive no silêncio frio do teu quarto
Eu me esquento ouvindo as canções daquele anjo que tocou meu coração naquela noite...como lembro-me de ti querido amor...
Tu vives triste e entocada
Enquanto vivo a gritar pela passarela dos mais fracos
Me sinto tão forte, capaz de levar e solucionar todos os problemas do mundo
21/05/07


Hoje começou a IIISemana de software livre da Faced, Universidade Federal da Bahia. Organizada pelo grupo de pesquisa que faço parte, hj tivemos participações bastante relevantes e as discursões foram muito boas, além de ainda termos defesa de mestrado dentro da semana, aconteceu oficinas simultaneamente...

esta sendo transmitida em vídeo e aúdio pela Rádio Faced, além de ter interferências através do chat..



Muito Bom!!!!

sexta-feira, maio 18, 2007

ENFIM A VITÓRIA !!!!


Mais vários dias de cansaço, passando de sala em sala, e eis que chegam os dias de votação suplementar. Aqui na Faced foi uma decepção, odiei ficar na boca de urna da minha faculdade, pois tivemos votos “de curral”. Além de ser insuportável ver, a falsidade de algumas pessoas, que passam o ano inteiro por você e nem se quer dão um bom dia...hj se comportarem de forma social. Também foi incompreensível a falta de educação de alguns professores...isso pq trabalham numa faculdade de educação. Imaginem se não!!! Professores que chegaram a nos colocar para fora da sala de aula, deles, por que suas ideologias eram diferentes das nossas. Mas os alunos também não tiveram um comportamento distante desses, em diversos momentos, me senti como uma estrela. Eles invadiam as salas para nos filmar e tirar foto... Nossa!!!que sucesso... com a intenção de nos impugnar. Risos!!! No outro dia, eram materias em jornais, e-mails que circulavam pela rede, e por aí vai.

Impedida de ir para apuração, devido a trabalhos da facul...estou aqui, deitada na minha cama, de olho no teto e nos números. Sem saber se durmo ou se espero o resultado, muito preocupada!! aí que tédio.

Na Faced, ao fechar a urna, um adversário me amedronta, como se toda urna fosse sua (da chapa 3), o que ele não sabia é que eu tinha dado um duro durante esses dias, fazendo campanha... pobre!!! só rindo!!!

Cochilo um pouco, e as 2h da matina meu celular toca...sou acordada com uma ótima notícia...


Vencemos as eleições!!!!Perfeito.

O sabor da vitória que veiu adoçar o meu dia, melhor do que isso, é saber que um gestão de três anos vai ter que por seu bloquinho na rua...






Hoje por volta das duas horas da manhã, encerrou-se a apuração das urnas impugnadas na eleição do DCE da UFBA, e o resultado final foi:

1º Lugar Quilombo Kizomba - Ousar Ser diferente - 2180 votos
2º Coletividade e Luta - 2076 Votos
3º Bloco na rua - Flores - 2075 Votos
4º Vem sambar no Meu Terreiro - 1297 Votos
Vencemos com uma frente de 104 votos para o segundo colocado e tivemos 2180 votos.
Vitória também de tod@s que participam do movimento estudantil, de todas as forças, pela grande participação d@s estudantes, mostrando que temos força quando queremos mobilizar, parabéns!
Quanto a nossa vitória, nós da CHAPA QUILOMBO KIZOMBA - OUSAR SER DIFERENTE, agradecemos todos os votos daqueles(as) que acreditam e apoiam nosso projeto por uma Universidade democrática e popular!
Valeu!



" Na luta de classes,
todas as armas são boas:
pedras, noites e poemas"
Paulo Leminski

quinta-feira, maio 17, 2007


E apesar do triste repúdio ao compositor, a orquestra fez sinfonia.
Foram as mais belas claves que fizeram esta música virar poesia.
Quem tu és meu caro amigo quando falas do músico...
se tua educação e tua física não te satisfaz,
Pobre alma!!!
Que tal tocar aquela harpa que alí estás?
Talvez um instrumento triangular sejas capaz de mudar o teu olhar.
Sejas capaz de reconhecer se tu és feliz, ou se apenas a linha do horizonte te traz paz.
Ainda...

Dart Araújo


Creative Commons License


Este poema está licenciado sob uma
Licença Creative Commons.

segunda-feira, maio 14, 2007

Na aula de Educação e Tecnologias discutimos conceitos relacionados a cibercultura, foram eles comunidades virtuais, virtualidade,e simulação, a realidade virtual. O que rola nas comunidades virtuais são os mais variados interesses, as pessoas escolhem as comunidade com os mais variados objetivos, mas o que mais esta presente é a sociabilidade. E nas comunidades sempre acontece o processo de aprendizagem. Aprende-se no contato com o outro. O que faz com que uma pessoa seja presente na comunidade é a comunicação. Se ela não se comunica ela não esta presente nessa comunidade, daí vem a questão da interatividade. Nos ficamos entre o virtual e o real. A simulação.

sábado, maio 12, 2007

Eleições do DCE 2007 - UFBA


Após sair da Faced na quinta-feira (10/05), muito cansada, tive que me dirigir ao PAF para mais um aula de English ( já era noite). Fui um pouco descontente, mas fazer o que? Risos!! No meio do caminho, acabei sendo desviada para um outro local, dentro do PAF. Estava eu, alí metida naquela "mini-multidão" de estudantes que lutavam... Era uma apuração, eu estava nervosa, a mão suava e o coração apertava. A gente cantava, e pela madrugada era "sangue de boaá" para todo mundo. A máquina também fazia dinheiro, mas eles ficavam para lá, nada de nos misturar aos famintos. Pobres!! Na oposição estava alí, caras conhecidas, eu via a lágrima querer descer dos olhos, mas a cabeça ainda funcionava, e apesar da quantidade de cigarros, a esperança ainda batia forte no coração. A cada urna apurada, uma distância gritante, e apesar da coletividade, O Coletivo sofria. O seu verde já se misturava ao de outras cores. E para uma chapa que há algum tempo, não muito distante fez bonito, era duro. Era duro e inacreditável perceber que a chapa 4 ( Vem sambar no meu terreiro) estava sambando mais bonito do que eles. E que apesar de tentarem transportar urnas sem a devida fiscalização e até mesmo de alguns da chapa retirarem faixas ( e queimar) de outra chapa, de nada valeu, por que estavam competindo a último lugar.A chuva não parava, o frio e o sono eram nosso inimigos, mas veiu a urna também chamada de caixinha de música nos alegrar. Eram só flores para nos espetar com seus espinhos e cada vez mais complicar. Valeram-se impugnações, gritos e até empurrões ou soluções, mas nada de acabar. E foi assim toda a madrugada. Lá pelas 6:30, alunos já chegavam para aula e nada de termos o resultado.
Novas votações teremos que esperar. Todas as chapas irão participar, mas a chance de ganhar, esta nas mãos dos Quilombolas ou das Flores. Serão cinco urnas urnas a disputar e vamos ter que batalhar.
Convido a todos a votar no Quilombo/ Kizomba.



Ousar Ser Diferente!


Resultado das apurações:

1lugar: Eu é quero botar meu bloco na Rua/ Flores: 1992 votos
2 lugar: Quilombo/ Kizomba: 1734 votos
3 lugar: Vem sambar no meu terreiro: 1267 votos
4 lugar: Coletividade e luta: 1249 votos

Ps: Motivo para a urna ser chamada de caixinha de música: simplesmente pq na Faculdade de Música a preferência foi para a chapa Quilombo, e por isso, os outros denominaram essa urna de caixinha de música. De 147 votos retirados da urna da faculdade de música, 131 eram para a chapa 1. Valeu galera.


Creative Commons License


Este
texto está licenciado sob uma
Licença Creative Commons.

sábado, maio 05, 2007

Fico cada vez mais apaixonada com as possibilidades que se tem nesse mundo digital...agora podemos até nos apaixonar pelas letras...risos!!brincadeirinha... fica um poema de Mário Prata para refletir....Para mim esse poema diz tudo que eu queria dizer...será!!!???


"Conheço quatro casos bem próximos. Gente que desmanchou o casamento de carne e osso por uma aventura no mundo das letras. Claro que estou me referindo aos encontros via Internet. Começa no chat, com o texto. Gostou do texto, leva para o reservado. E lá, rola. Eu mesmo já me envolvi perdidamente por dois textos belíssimos. Moças de vírgulas acentuadas, exclamações sensuais e risos de entortar qualquer coração letrado ou iletrado. Sim, pela primeira vez nesta nossa humanidade já tão velhinha, as pessoas estão se conhecendo primeiramente pela palavra escrita. E lida, é claro. Já disse, isso envaidece qualquer escritor. Agora, o texto pode levar ao amor. Uma espécie de amor-de-texto, amor-de-perdição. A relação, o namoro, começa ali no monitor. Você pode passar algumas horas, dias e até semanas sem saber nada da outra pessoa. Só conhece o texto dela. E é com o texto que vai se fazendo o charme. Você ainda não sabe se a pessoa é bonita ou feia, gorda ou magra, jovem ou velha. E, se não for esperto, nem se é homem ou mulher. Mas vai crescendo uma coisa dentro de você. Algo parecidíssimo com amor. Pelo texto. Pouco a pouco, você vai conhecendo os detalhes da pessoa. Idade, uma foto, a profissão, a cor. Inclusive onde mora. Sim, porque às vezes você está levando o maior lero com o texto amado e descobre que ele vem lá da Venezuela. Ou do Arroio Chuí. Mas se o texto for bom mesmo, se ele te encanta de fato e impresso, você vai em frente. Mesmo olhando para aquela fotografia - que deve ser a melhor que ela tinha para te escanear (ou seria sacanear, me perdoando o trocadilho fácil) você vai em frente. "Uma pessoa com um texto desses..." A tudo isso o bom texto supera. Quando eu ouvia um pai ou mãe dizendo "meu filho fica horas na Internet", todo preocupado, eu também ficava. Até que, por força do meu atual trabalho, comecei a navegar pela dita suja. E descobri, muito feliz da vida, que nunca uma geração de jovens brasileiros leu e escreveu tanto na vida. Se ele fica seis horas por dia ali, ou ele está lendo ou escrevendo. E mais conhecendo pessoas. E amando essas pessoas. Jamais, em tempo algum, o brasileiro escreveu tanto. E se comunicou tanto. E leu tanto. E amou tanto. No caso do amor ali nascido, a feitura, o peso, a cor, a idade ou a nacionalidade não importam. O que é mais importante é o texto. O texto é a causa do amor. Quando comecei a escrever um livro pela internet, muitos colegas jornalistas me entrevistavam (sempre a mim e ao João Ubaldo) perguntando qual era o futuro da literatura pela Internet. Há quatro meses atrás eu não sabia responder a essa pergunta. Hoje eu sei e tenho certeza do que penso: - Essa geração vai dar muitos e muitos escritores para o Brasil. E muita gente vai se apaixonar pelo texto e no texto. Existe coisa melhor para um escritor do que concluir uma crônica com isso? Como diria Shakespeare, palavras, palavras, palavras. Como diria Pelé, love, love, love."


Imagem do site: ht
tp://www.uniblog.com.br/img/posts/imagem13/133410.jpg