segunda-feira, abril 09, 2007

O final de semana foi muito bom!!! muita comida, muita festa...sem lembrar o verdadeiro sentido da Páscoa! Nasci em uma família tradicional, vivi sobre dogmas religiosos desde criança, e ainda sinto a pressão do meu avô até hoje, nos impondo determinadas coisas, ao sentar na mesa para comer; sua forma de ser (rude) ainda é marcante em nossa família, mas vejo que vamos mudando e que os seus valores para nós já não significa tanto quanto antes. Meu avô sempre nos exigiu que seguisse a religião católica, e nos impunha determinados comportamentos. Esse final de semana fui para casa dos meus avós ( no interior) e meu avô ficou muito magoado com meus tios que só comiam e bebiam, sem nem ao menos fazer uma prece, e sem participar das procissões que aconteceram na cidade...enquanto um tio meu dava o exemplo jejuando desde a quarta feira de cinzas, os outros só queriam mesmo curtir o feriado... para mim tudo isso já é uma realidade( a juventude de hoje)... eu acompanhei os acontecimentos da cidade, da janela, um pouco distante ( sem participar também )... os três dias foram marcados de muitas procissões em Jacobina...na quarta-feira teve a via sacra, onde foram mostrados os caminhos que Jesus percorreu, na quinta feira aconteceu a caminhada da Luz, todos subiram o cruzeiro com velas nas mãos, na sexta teve também a procissão do senhor morto, e no domingo, o dia em que eu já estaria voltando para Salvador, saiu um carro (bem cedinho) acordando as pessoas da cidade...dizendo : " Acorda Jacobina, o Cristo ressuscitou!" e cantando músicas... cenas que acontecem todos os anos, desde quando eu era pequena, e que não se perderam... Para mim, ver tudo isso é muito bom e bonito, porém ao mesmo tempo fico triste, por que sei que a minha juventude perdeu essas manifestações...perdeu muito!!!aqui em Salvador não existe (tanto) essas festas religiosas, e mesmo assim os jovens estão distante...tudo isso tá muito longe...e é uma pena...
Imagem retirada do site:www.jacobina.ba.gov.br


Quase esqueci, Feliz Páscoa atrasado para todos....

2 comentários:

Fabricio A Santana disse...

Mas ainda existem jovens no interior que dão continuidade às tradições citadas por voce, por exemplo, em Baixa Grande o pessoal fez uma encenação teatral da Paixão de Cristo muito boa!!!

E todos eram jovens, ainda tinham jovens acompanhando tb. Para mim, particularmente, eu me afastei bastante da Igreja, mais especificamente, da religião Católica, do Crisitianismo, por eles não mudarem pra realidade nossa, não ligarem para as nossas necessidades e anseios. Ou seja, eles se afastam cada vez mais do povo, principalmente agora com esse Papa tosco.

Viva a Teologia da Libertação!!!

Gabriel Franco disse...

Não sou a favor de nenhum tipo e dogma, principalmente religioso (que passa também pelo social, econômico, histórico...), mas entendo do quando comenta do significado ter se perdido atualmente. Minha avó, por exemplo, também segue os mandamentos da igreja católica, e seus dogmas, a ferro e fogo, e também vejo como ela se sente sozinha e "magoada" por ninguém mais seguir com ela.

Penso que se alguém se diz católico (sem essa baboseira de praticante ou não praticante, isso é conversa pra boi dormir... católico é praticante) tem de seguir os mandamentos da igreja católica. Acho bizarro, essas pessoas que se dizem uma coisa e fazem outra; parece que se batizaram, se casaram, prestaram primeira eucaristia e crisma, e freqüentam a missa (quando freqüentam e olhe lá) - E ASSIM COM SEUS FILHOS E NETOS - só para terem a garantia do lugar no céu, depois da morte.

SER CATÓLICO É SER CRISTÃO, MAS SER CRISTÃO NÃO É NECESSARIAMENTE SER CATÓLICO! Muitas pessoas também atrapalham estas duas definições, por ignorância. Do mesmo modo, que você pode admirar e seguir vários dos pensamentos de Jesus (e não Cristo, que é título e não nome) sem tê-lo como o Messias – assim como várias pessoas (inclusive católicos) admiram Dalai Lama, Buda, Mahatma Ghandi, Martin Luther King, Gentileza...

Do que adianta você acreditar em alguém, se você nem sabe o que esse alguém diz! Vai se acreditar no vazio? Na imagem? No ídolo? Ou no status de acreditar e pertencer a uma dada religião (que ainda existe muito)?

Também não concordo com as idéias e práticas de Bento XVI. Mas não vamos crucificar o Joseph Alois Ratzinger só por ele ser tão conservador, preconceituoso e extremista. Tudo bem que ele é umas das maiores cabeças pensantes da história, no que se baseia em teologia, mas com certeza, ESTES DOIS SÃO OS PRINCIPAIS MOTIVOS POR ELE TER SIDO ELEITO! Alguém duvida? Será que realmente estamos no fim dos tempos? ESTE É O DOGMA DE SER PAPA!

Esse é o meu comentário.